JORNAL MILENIO VIP

Colunistas - Dulcimar Menezes

O NAMORADINHO DE MAGÉ

Publicado na edição 92 de Junho de 2009

“Eu te amo porque te amo. O amor é estado de graça e com amor não se paga. Amor é dado de graça....”

Meus amigos, estamos em junho e este mês celebramos uma data muito importante. Nossa cidade completa mais um ano de história. No próximo dia nove comemoramos o aniversário de Magé.
Este evento me traz muitas recordações boas de um tempo onde a cidade era muito mais simples, porém muito mais linda. Sou de um tempo em que no dia de aniversário de Magé, que antigamente era comemorado no dia dois de outubro. E este dia era esperado por nós pequeninos nas escolas como se espera uma grande festa. Acordávamos cedo para marcha cívica. Sou de um tempo que tínhamos em nossa grade curricular de ensino primário (elementar) a Educação Moral e Cívica. No dia do desfile, chegávamos, nas nossas escolas, orgulhosos do uniforme que vestíamos.
Nos sentíamos importantes. Se fôssemos da guarda da bandeira então, era a glória! E, se estudantes do Colégio Estadual de Magé fôssemos e conseguíssemos uma vaga na Banda Marcial do Maestro Augusto...aí então era o êxtase! Certamente brilharíamos, em nossos trajes de gala, na Avenida Simão da Mota, pois todos ficavam esperando, envolvidos em clima de muita alegria e amizade, a banda passar.
Mas, por que esta nostalgia toda? Alguns devem estar pensando: Será que ela é daquele tipo que vive dizendo por aí que Magé é a “terra do já teve”? Não, não sou. Permita-me esclarecer. Pelo contrário, acho que jamais devemos ficar olhando fixados e perdidos naquilo que não temos e sim olharmos e nos apropriarmos daquilo que somos. Porém, se esquecemos da onde viemos não saberemos para onde estamos indo e muito menos quem somos nós. E se não conhecemos nossa história não estruturamos nossa identidade. Então nos tornamos “presas fáceis” e os predadores nos devoram. Se não sabemos quem somos e o que queremos, continuarão nos vestindo de cores que não escolhemos; continuaremos prestando homenagens a pessoas que nem ao menos sabemos quem são e quando procuramos saber descobrimos que não tem nada a ver com a vida da gente. E com isso, aos poucos vamos perdendo o entusiasmo, vamos nos desconectando, nos marginalizando. E chegamos nas condições que nos encontramos hoje: uma cidade sem face! Lamentável!
Por isso neste mês quero homenagear as iniciativas de todos que desejam contribuir na recuperação da Identidade Mageense (no meu entender e de outros, a única saída para a solução das dificuldades que enfrentamos). E o maior exemplo disto, nos últimos tempos é o nosso Jornal Milênio Vip. Nós que colaboramos e acreditamos na tarefa e participamos um pouco da intimidade de sua produção, sabemos quão rico ele é em profissionalismo e ética. Muitos o tentam denigrir com o uso de pejorativos e o tratam como “jornalzinho”. Com certeza é pequeno... Mas neste instante gostaria de repetir o nosso amigo Dr. Laért Jr, advogado renomado e colunista do Jornal Milênio VIP há anos, que em seu depoimento por ocasião da inauguração do site do Milênio lembrou de uma frase do poeta Fernando Pessoa que diz “ Eu não sou do tamanho que tenho e sim do tamanho do que eu vejo” referindo-se à iniciativa do jornal e do site.
Quero parabenizar a todos, direção e colunistas, em especial os mais jovens. Parabéns! Magé tem um jornal! Jornal MilênioVip, o namoradinho de Magé!
A propósito, será que nós sabemos quantos anos a nossa cidade fará? E por que o dia do aniversário da cidade mudou do dia dois de outubro para o dia nove de junho? Estas dúvidas nós poderemos tira-las no nosso site. Visite-o. Acredite. Valorize. Acrescente.
Falei do amor no mês passado e quero concluir falando também de amor. Falando do meu amor pelos meus grandes amigos de todos os tempos, que fazem de nossa cidade um lugar inesquecível! Feliz Dia dos namorados!

Dulcimar Menezes
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui