JORNAL MILENIO VIP

Colunistas - Dulcimar Menezes

CUIDE DE SUA MÃE

Publicado na edição 103 de Junho de 2010

“A terra pode oferecer o suficiente para satisfazer as necessidades de todos os homens, mas não a ganância de todos os homens”. Mahatma Gandhi.

A vida do psicólogo é preenchida de histórias e estórias. Sob o formato variado de diversas narrativas, ouvimos adultos e crianças. Também contamos muitas estórias.

É a estória de uma mãe muito amorosa e generosa e sua família que neste momento quero lhes contar. Era uma vez uma menina que cresceu exalando amor de tão bem cuidada que foi ao longo de seu desenvolvimento. Amadureceu e transformou-se numa mulher muito bem sucedida, rica e linda.

Maravilhosa mesmo! Esta mulher teve cinco filhos e sempre cuidou muito bem deles. Nunca deixou faltar nada aos seus, sempre zelosa e provedora. Seus filhos cresceram e foram viver as suas vidas. Nesta hora a mãe lhes disse: “Sigam seus caminhos, façam suas escolhas. Os recursos da nossa família, fontes de suas vidas, são fartos. Use-os, mas use-os com sabedoria. Sabendo usar não vai faltar”. E assim a vida desta família se seguiu. A mãe ofereceu aos seus filhos toda a sua riqueza acumulada ao longo de sua existência. Foi então que as coisas começaram a complicar. A mãe testemunhou com muita tristeza que dois de seus filhos começaram a fazer uma apropriação muito indevida dos recursos da família, acumulando e desperdiçando desnecessária e levianamente.

Resultado, a injustiça começou a achar lugar no coração dos membros daquela família e a dor a alma daquela mãe. Os outros filhos começaram a reclamar os seus direitos e então se fez a guerra.

A má distribuição dos recursos por causa da ganância de dois filhos provocou o ódio e a pobreza dos outros. Um deles chegou num estado de carência tão grande que ficou muito doente. E a mãe chorou e suas lágrimas se espalharam por todos os cantos da casa. Chorou muito, pois a ganância, a guerra e a injustiça entre os seus filhos estavam esgotando os recursos de vida de toda a família.

Preocupados em realizar os seus próprios interesses, uns para acumular em propriedade pessoais o tesouro de toda a família e os outros para cuidar de sobreviver livrando-se da penúria e do mal, esqueciam que os recursos eram finitos e não estavam sendo renovados. A mãe chegou a uma conclusão preocupante para qualquer mãe: Seus filhos eram dependentes, irresponsáveis e incapazes de se sustentar. E ela se perguntava o que seria de seus filhos quando ela se fosse. A verdade é que ela já não era nenhuma menina. A Senhora já não conseguia trabalhar sozinha para repor no estoque os recursos de vida, pois os seus filhos já consumiam 20% a mais do que ela era capaz de recuperar. Então, ela começou a adoecer. Seu ritmo cardíaco e respiratório acelerou descompassadamente. Os médicos alertaram os seus filhos sobre a gravidade do problema. Era urgente que eles se entendessem e a única receita que poderia salvar a mãe de todos era o diálogo, o resgate da justiça para a realização da paz. E principalmente, era urgente que desenvolvessem um modo de consumo consciente. A consciência dos limites dos recursos se fazia necessário para que a partilha fosse feita de maneira igualitária e justa. Do contrário, o caminho inevitável seria a miséria de todos...E agora? Qual será o fim desta família?...

Esqueci de lhes dizer os nomes dos personagens desta história. A mãe é a Terra e os filhos, América, Europa, Ásia, África e Oceania. Isso mesmo! É a nossa história.
No dia 5 de junho celebramos o Dia Mundial do Meio Ambiente. O final deste conto depende de cada um de nós. Isto é real! Quero compartilhar um conselho que nos foi oferecido pelo Professor Leonardo Boff, um dos elaboradores da Carta da Terra, no III Fórum Internacional de Comunicação e Sustentabilidade: “Cuide da Terra. Cuide de sua Mãe!” Assim Seja!

Dulcimar Vieira da Silva Menezes.

Dulcimar Menezes
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui