JORNAL MILENIO VIP

Colunistas - Antônio Seixas

BIBE TEIXEIRA, HISTORIADOR MAGEENSE

Publicado na edição 103 de Junho de 2010

Alcebíades de Castro Teixeira, o saudoso Bibe Teixeira, considerado a memória viva da cidade, nasceu na Avenida Padre Anchieta, a 06 de novembro de 1911, filho de Virgílio José Teixeira e Ignês de Castro Teixeira. Aos dezenove anos ingressou no Exército, sendo designado para o Forte Barão do Rio Branco, em Niterói. Fez o curso de cabo e quando iniciava o de sargento estourou a Revolução Constitucionalista de 1932. Casado com Letícia Faria Teixeira, com quem teve três filhos: Pedro Paulo, José (o popular Tuíta), comerciantes e Haroldo Faria Teixeira, advogado.

Iniciou suas pesquisas sobre a história de Magé em 1929, divulgando seus resultados na imprensa local em jornais como “Folha de Magé” e “A Verdade”, ambos do jornalista Mário de Almeida Coelho.

Como um dos líderes da Ação Integralista Brasileira em Magé, partido político fundado em 7 de outubro de 1932 por Plínio Salgado, Gustavo Barroso e Miguel Reale, promovia desfiles e discursos contra o anarquismo e o comunismo, no largo da cidade.

Contribuiu, ao lado de Moacyr Pimentel, Teotônio Botelho, Antônio Offredi e Herman Matheis, para a construção da Capela de São Pedro dos Pescadores, iniciativa de Jader “Moreno” Ullmann, solenemente inaugurada em 29 de junho de 1947.

Bibe Teixeira exercia o cargo de subdelegado de polícia durante o episódio da cassação dos vereadores comunistas em 1948.

Eleito vereador nas eleições de 1950, pelo Partido Ruralista Brasileiro (PRB), foi o autor da lei que primeiro definiu os feriados municipais (9 de junho e 15 de setembro), e da lei que homenageia o pintor mageense José Leandro de Carvalho (rua Prof. José Leandro), retratista oficial do Primeiro Reinado. Ainda na vereança, convenceu o prefeito Waldemar Lima Teixeira a transferir, em 1954, o busto de Aureliano de Oliveira Coutinho, da Praça do Canal, para o grupo escolar Visconde de Sepetiba, onde até hoje se encontra preservado.

Proprietário do casarão na esquina da Avenida Padre Anchieta com rua Presidente Castelo Branco, onde o fundador da República, Benjamim Constant, passou a infância.

Bibe Teixeira faleceu em 12 de junho de 2000, deixando seu nome marcado na historiografia mageense.

Antônio Seixas
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui