JORNAL MILÊNIO VIP - O inventário de João Gabriel

Colunistas - Antônio Seixas

O inventário de João Gabriel

Publicado na edição 104 de Julho de 2010

Proprietário da importante “Casa Progresso”, voltada para o comércio varejista, e descendente de libaneses, João Gabriel nasceu em Magé a 29 de outubro de 1901, filho de Gabriel Miguel e Maria Jorge. Casou-se em 22 de janeiro de 1925, com a operária Maria Teixeira (1904-1980), na Igreja Evangélica à rua Major Delfim, n.º 47, nesta, oficializada a cerimônia pelo Capitão Carlos Martiny Junior, juiz de paz. Falecido em sua terra natal a 28 de julho de 1984, vítima de infarto, teve seu óbito atestado pelo Dr. João Luiz de Alencar Junior (1924-2009), deixou bens e uma grande descendência.

Da análise dos bens arrolados em seu inventário, descobrimos que era proprietário de uma data de terras na região de Tauá, hoje mais conhecida por Ponte Seca, adquirida em 28 de julho de 1943 de Virgílio Antônio Rebelo e Antônio Offredi, onde funcionava uma olaria, confrontando-se com a Estrada de Ferro Teresópolis e a Fazenda do Saco, de propriedade de Álvaro Gomes da Silva.

Era ainda proprietário de uma data de terras em Santo Antônio de Jororó, fazendo frente para a Estrada de Ferro Teresópolis e pelos lados limitando-se com as terras de Djalma Pinto da Rocha e Dr. H. L. de Assis Silva, sendo esta uma povoação agrícola que remonta ao século XIX.

João Gabriel era ainda proprietário de uma terreno com frente para o chamado “Caminho da Fonte”, na rua Major Delfim, atualmente Avenida Simão da Mota, fonte esta localizada no bairro da Vila Nova, próximo ao campo do barreiro.

A partir da escritura das terras em que se encontra erguida a quase centenária “Casa Progresso” descobrimos alguns dos antigos proprietários da rua Dr. Siqueira: n.º 75 – Emília Leitão Soliva; n.º 77/79 – João Gabriel; n.º 81 – Fábrica de Artefatos Santo Antônio, todos fazendo fundos com a rua Dr. Abel Graça Junior, homenagem ao antigo juiz titular da 1.ª Vara Cível de Magé e responsável pela inauguração da luz elétrica na cidade em 1921.
Seu inventário é fonte, por fim, que nos permite elaborar a árvore genealógica da família Gabriel em Magé, a partir de seus filhos: Elcias Teixeira Gabriel, Maria da Glória Teixeira Gabriel Silva, Enéas Teixeira Gabriel, Eli Teixeira Gabriel, João Gabriel Filho, Eunice Teixeira Gabriel Maia, Enyr Teixeira Gabriel, Marlene Teixeira Gabriel e Ezilda Teixeira Gabriel Teixeira.

Antônio Seixas
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui