JORNAL MILENIO VIP

Colunistas - Clóvis Mendes

Breve depoimento

Publicado na edição 112 de Junho de 2011

Danilo Sampaio estava comigo no bar do Coutinho (no século passado), quando Rosinha Matuck, convidou-me para participar com esta coluna em seu jornal, com Danilo reforçando. Por compromisso em outro jornal, não aceitei. Casualmente, nos encontramos na Dr. Siqueira e dela recebi um exemplar do Milênio Vip. Na mesma rua e na mesma circunstância nos reencontramos, com ela perguntando se havia gostado do jornal. Como a resposta só poderia ser de agradecimento e meritória, ela, aí então, me convida para elencar o seu time de excelentes cronistas. O convite, aceito imediatamente, após uma sentimental e justificável hibernação jornalística. 

Meu primeiro encontro com Rosinha Matuck na área de comunicação ocorreu nos anos 60, quando assumir a presidência da Liga Mageense de Desportos, uma entidade nômade, sem lugar fixo para suas reuniões e pasmem! Sem Estatuto e personalidade Jurídica. Dos campeonatos, apenas os clubes dos demais distritos, sem os do 6º, repudiados por aqueles. Ordenada Juridicamente e apoiado carinhosa e entusiasticamente por Adonias Correa Lage, com o registro grátis dos Estatutos, procurei agrupar os clubes do 6º distrito do município de Magé, enfrentando uma gigantesca rejeição de ambos os lados. Vencida a pendenga de enrustida, iniciei o campeonato mageense de futebol da 1ª Divisão em 1965, com o Sport Club Pau Grande, campeão.

A liga Mageense de Desportos, necessitava de uma sede própria. Como sou geneticamente alérgico a pedidos políticos, organizei e promovi a maior festa social no município, desde que aqui chegou para fundar Magé, Cristóvão de Barros; com o desfile e eleição da Rainha dos Clubes de Magé, na sede de um clube previamente escolhido. Sendo que os demais, neste dia, ficavam fechados. E nessa festa, estava presente a família mageense. 
Uma festa com tamanha envergadura e de elevadíssima  importância social, teria que ser apresentada por quem possuía incontestável qualidade e locução; com domínio de palco e publico garbosamente.

E quem, senão Rosinha Matuck possuía com sobras essa qualificação?

E a ela apoiada por Jeferson Klark e o então estudante de direito Juares Porto, coube comandar os desfiles entusiasticamente aplaudidos pelas torcidas dos clubes e parentes das lindas jovens em desfiles. Cadê você Magé?

Essa festa tinha como finalidade, angariar fundo para a construção da sede própria da Liga Mageense de Desportos, sem precisar de ajuda de verba pública, como foi. Sendo por isso, inaugurada sem a presença política.

Como você leitor pode ver, Rosinha Matuck, foi peça importante naquele evento e naquela construção, como sempre sorridente e solícita. Como então agora, recusar este honroso convite? Ah! Quero lembrar de outra magnífica jovem que muito trabalhou naquelas festas e desfiles: Terezinha Barreiros. Ela cuidava dos camarins e da ordenação dos desfiles, exigindo disciplina e garbo.

Depois eu e Rosinha Matuck, recrutados por Fernando José Tavares, então presidente do Magé Tênis Clube, organizamos festas memoráveis. Eu, Diretor Social e ela no mesmo departamento, com a parte feminina. Com a eleição de nova diretoria, acabei no Conselho Deliberativo, para elaborar o novo Estatuto desse clube.

Este breve depoimento é muito mais de agradecimentos a VOCÊ, Rosinha.



Meu xará e amigo Kokó, como é carinhosamente conhecido, o dono, maestro, cantor etc., da Banda Lordão, a mais famosa e solicitada da Bahia, Eu, com Waldonys, outra fera com sua Banda. É considerado um dos maiores e versáteis acordeonista do Brasil e o Cineasta e Jornalista Luiz Bomfim, parceiro inseparável na Forrozeira de Ibicuí – Bahia. Foto CRM.


Convidado pelo então presidente Alan Pereira, fui ao aniversário do Guarany FC., onde recebi uma camisa em minha homenagem e uma flâmula de Tri-Campeonato de 1964, que como técnico, colaborei na conquista, oferecida pelo goleiro Joel, de época, na foto, encostado no coqueiro.
Presentes nesta foto: Ao meu lado o atual presidente, Homero Mello, Gilson Guerra, Clovinho e Kátia (meus queridos filhos) e Aleixinho Mello. Foto CRM.

Clóvis Mendes
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui