JORNAL MILENIO VIP

Colunistas - Dulcimar Menezes

Somos Livres!

Publicado na edição 113 de Julho de 2011

 “você tem sede de que? você tem fome de que? a gente não quer só comida a gente quer comida, diversão e arte. a gente não quer só comida, a gente quer saída para qualquer parte...”
(Arnaldo Antunes, Marcelo Fromer e Sérgio Brito)

Meus queridos mageenses, somos membros da mesma família. E gostaria de compartilhar com vocês uma experiência do passado que tanto me seqüestra a memória nos tempos atuais. Quando eu estava ainda cursando a faculdade de psicologia, tive uma matéria denominada psicologia experimental. Nesta ocasião aprendi como fazer um rato contar até dez para receber alimento. Foi uma experiência interessante e relativamente fácil... Para obrigar o rato a fazer o que eu queria, bastava que eu o privasse de suas necessidades primárias. Neste caso, simplesmente privando o animal de água e liberdade ele acabava por aprender a contar, através de uma pequena alavanca em sua gaiola, e assim posso dizer que ele bebia água na minha mão. E, portanto, ele só fazia o que eu queria por medo das conseqüências da escassez em sua precária vidinha. Triste condição, vocês não acham?

Este experimento tinha por objetivo comparar o comportamento dos animais aos dos seres humanos. Se é triste com os pobres ratinhos, qual não será a nossa indignação ao perceber que isto é feito com os homens e mulheres de bem, cidadãos de nossa cidade! Pois então, isto é fato! Há muito que as nossas vidas são gerenciadas como se fôssemos ratos de laboratório, alimentados em cativeiros através de cestas básicas, botijões de gás e favores políticos. Privados das necessidades elementares que nos fariam erguer com dignidade as nossas próprias vidas, vivemos sob o domínio do medo. Desta forma, pode-se dizer com toda certeza que comemos nas mãos dos nossos colonizadores. Preciso relatar que a sensação que tive ao ver que o meu ratinho (pobrezinho...) obedecia a minha ordem, foi de poder e satisfação sádica (perdoem-me as imaturidades de aprendiz...). Pois bem, imagino o quanto os dominadores desta digna cidade se comprazem com a nossa submissão. Vejo-os rindo da nossa cara de medo, imaginando que o império jamais cairá! Imagem revoltante!


Bom, é importante que eu lhes diga que se meu ratinho fosse LIVRE e lhe fosse oferecido as condições básicas de vida, ele mesmo procuraria a seu próprio sustento e não precisaria obedecer as minhas ordens. Isto é um imperativo biológico que somente se neutraliza em face da necessidade de proteção. Ou seja, em face do medo! Se um pequeno ser vivo consegue, imaginem quão potente será um homem que reconheça o seu próprio valor e a sua própria dignidade? 

Acorda, meu amigo! Liberte-se! Somos livres! Basta com esta história de sermos escravos dos objetivos de uns poucos que em hipótese nenhuma desejam saciar as nossas necessidades saúde, educação e cultura, pois desta forma nos tornaríamos livres e fortes e certamente seríamos um grande obstáculo em sua ganância material, movida por uma pobreza interior sem tamanho!

Dia 31 de julho. Eleições suplementares para prefeito em Magé! Vote! Mas, lembre-se que o seu voto tem conseqüência na sua vida e na de seus filhos. Vote por um futuro melhor para eles!

Quanto ao meu ratinho...Já se passaram tantos anos...Nunca mais soube dele... Se ele não conseguiu conquistar a liberdade, certamente morreu infeliz dentro da gaiola...

Muita luz, paz e bem a todos!

Dulcimar Menezes
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui