JORNAL MILENIO VIP

Colunistas - Neuza Carion

VEM, VAMOS!

Publicado na edição 113 de Julho de 2011

Não dá para falar de outra coisa. Não dá para pensar em outra coisa.

Mais uma vez no olho do furacão, Magé se vê no noticiário, exposta ao ridículo em rede nacional. Até quando vai admitir a pecha do atraso?  Até quando vai aceitar esmolas e se satisfazer com migalhas? Até quando vai se deixar levar?

É preciso mudar!

Entretanto, Magé não é isso que as notícias mostram. Magé é o povo decente, que se esforça e trabalha, que respeita e quer respeito! Magé é a juventude que estuda, se informa, se capacita e, cada vez mais, se equipara e se insere na sociedade globalizada. É preciso mudar a imagem de Magé, tanto a externa quanto a interna.

Magé precisa se ver e se aceitar como o celeiro de boa gente e boas coisas que sempre foi, e para isto é preciso consciência: do que se é, do que se quer, do que e como fazer para atingir seus objetivos. É preciso ter objetivos e determinação para alcançá-los!

Não adianta se lamentar e culpar os políticos, nem todo político age mal. Políticos não são extraterrestres todo-poderosos que invadem e dominam a sociedade. São parte e fruto da sociedade que os coloca na posição que ocupam. Além disto, é doloroso mas verdadeiro – a sociedade, ou parte dela, permite as ações dos maus políticos, ou pior, participa delas: não há corrupção se não houver quem se deixe corromper. E a parte que não colabora, ignora.  É preciso saber.

Ninguém está isento, todos são responsáveis. Cidadania implica no binômio direito/dever. Cada um, dentro de suas possibilidades, precisa contribuir para justificar o que recebe e precisa ser guardião dos direitos - de todos - sem qualquer distinção de gênero, classe, credo ou cor, mesmo as crianças. Por isto e para isto vivemos em sociedade. É preciso compreender e agir.

A ação em favor do aprimoramento da vida em sociedade precisa ser permanente, constante, frequente, em todos os níveis e em todos os lugares: em família, na escola, no trabalho, nos contatos sociais. Não se trata só de denunciar e punir os erros, é também divulgar e premiar as boas condutas. É respeitar e exigir respeito. É dar exemplo, ensinar, informar, discutir, debater, principalmente com os mais jovens, que crescerão com uma noção do que é justo incorporada a sua personalidade, sua visão de mundo, suas atitudes.  É trabalhar na formação de cidadãos que tomem nas próprias mãos a responsabilidade por seus sonhos, anseios e projetos de vida, que cumpram e exijam que cada um cumpra a sua parte na concretização do bem comum.

Para concluir: ainda este mês teremos em Magé uma nova eleição. O eleito terá um tempo de gestão curto e não se pode criar expectativa de grandes realizações, mas se o voto for dado com consciência, pode significar o momento da virada para uma fase de progresso real e duradouro. Parafraseando e mixando Vandré e Chico: “Vem, vamos embora que esperar não é saber, quem sabe faz a hora, não espera acontecer. Todos juntos somos fortes, não há nada a temer!”


Neuza Carion
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui