JORNAL MILENIO VIP

Colunistas - Felipe Augusto dos Santos

Ecos da Segunda Guerra em Magé

Publicado na edição 115 de Setembro de 2011

Um dos momentos mais emocionantes no lançamento do livro do médico Irun Sant’Anna em Magé, no último dia 19 de agosto, foi quando o nobre amigo Haroldo Teixeira (filho de Seu Bibe, saudoso pesquisador da História Mageense) apresentou aos convidados a seguinte raridade: um panfleto da Comissão de Ajuda à FEB em Magé.

De fato, o ambiente da Segunda Guerra Mundial repercutiu bastante no município desde a participação efetiva do Brasil no conflito. A partir de 1942, foram realizadas em Magé diversas campanhas contra o fascismo, pela declaração de guerra do Brasil contra o Eixo, pelo envio da Força Expedicionária Brasileira (FEB) aos campos da Europa e, principalmente, pelo apoio a esse contingente brasileiro guerreando na Itália. Todas essas campanhas conquistaram amplo apoio entre os mageenses.

Como um município destacadamente industrial, Magé também participou do chamado “esforço de guerra”, quando o então presidente Getúlio Vargas conclamou os trabalhadores brasileiros a atuarem como “soldados da produção”. Desse modo, o período de guerra logo se fez sentir quando as indústrias têxteis mageenses se comprometeram a fabricar o brim-marinho, tecido base para a confecção dos uniformes dos marinheiros brasileiros que iriam para o front.

Ao passo que a população de Magé apoiava a FEB e enfrentava um período de muito trabalho e sacrifícios (pois o governo suspendeu diversos direitos trabalhistas durante o conflito), outros mageenses formaram o contingente brasileiro na guerra. Alguns desses expedicionários, inclusive, já foram homenageados no livro “Magé: Terra do Dedo de Deus”, de Renato Peixoto dos Santos.

Entre eles, um adquiriu bastante destaque nas fileiras do Exército Brasileiro: FRANKLIN DE CARVALHO JÚNIOR. Nascido no município de Magé em 12 de agosto de 1903, ele ingressou no Exercito no ano de 1926 e logo se tornou Sargento Músico. Durante a guerra, foi escolhido Mestre da Banda de Música da FEB, tendo recebido elogios do General Mascarenhas de Moraes (Comandante do contingente) por ocasião do seu retorno ao Brasil, quando foi promovido a 2º Tenente Mestre de Música, notabilizando-se em “elevar o moral da tropa que representou o Exército do Brasil no Teatro de Operações da Itália”. Mais tarde, aposentou-se como Capitão, falecendo na cidade de Volta Redonda em 1980. Recentemente, teve seu nome proposto como Patrono dos Músicos do Exército (ainda em discussão).

Porém, da mesma forma que seu conterrâneo elevava a moral da FEB na Europa, o mageenses também tiveram seu momento de confraternização, como mostra uma fotografia do Dia da Vitória em Santo Aleixo, com os operários comemorando a vitória dos Aliados na Segunda Guerra Mundial, obtida em 8 de maio de 1945. Na fotografia, destacam-se os cartazes com retratos de diversas personalidades políticas internacionais: Getúlio Vargas, Luís Carlos Prestes, Winston Churchill, Joseph Stalin e Franklin Roosevelt, como também as bandeiras do Brasil, dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha, todas elas portadas por estudantes uniformizados. Ao centro da fotografia, há um estandarte com a letra “V”, bem como diversos operários posaram ostentando um “V” com os dedos das mãos, representando a vitória dos países aliados no conflito mundial.

Realmente, a Segunda Guerra ecoou forte em Magé e os mageenses retribuíram à altura!


Felipe Augusto dos Santos
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui