JORNAL MILENIO VIP

Colunistas - Izaura Hart

Cantinho da Alma - Reflitamos

Publicado na edição 116 de Novembro de 2011

Já estamos nos aproximando do Natal de Jesus. No ar já podemos sentir o afã de todos desejando arrumar a casa, preparar as comemorações no trabalho, os encerramentos escolares, comprar os presentes dos amigos, dos familiares, ir às formaturas que acontecem no final do ano e para as quais somos convidados...

Em meio a tantas atribulações, que tal colocarmos dentro de nós um propósito de em determinada hora escolhida pararmos tudo e diariamente naquele instante orarmos a Deus pedindo pela paz nos lares da Terra, pedindo pela paz dentro de nós?

Tomei conhecimento na semana passada que um menininho de apenas 9 anos tentou o suicídio porque seus pais se separaram!...

Senti uma dor muito grande em meu peito, mesmo sem conhecer a criança ou a família, mas por avaliar o tamanho da insegurança que aquele menor sentiu ao tomar semelhante atitude!...

Nós adultos precisamos pensar muito antes de agir porque nossas atitudes repercutem em um universo muito grande e envolvem outras pessoas que sofrem ou são felizes de acordo com o que fizermos.

“Pense muito antes de se casar, mas pense mais ainda antes de se separar”, principalmente quando se tem filhos!

Conversando com jovens ou adultos que viveram a separação de seus pais, todos são unânimes quanto à insegurança da visita ou não do pai, do sofrimento quando o pai não vinha buscá-los, quando o pai constituía outra família e tinha outros filhos, da dor quando ouvia a mãe falando mal de seu pai e tantas outras dores que ficaram como cicatrizes profundas naquelas criaturas.

Emmanuel nos diz através do Chico Xavier “Não podemos fazer um novo começo , mas com certeza podemos trabalhar para fazer um novo fim”.

Está se aproximando a festa Natalina. Todo esse corre corre de final de ano não deve impedir que aquele ou aquela que por qualquer motivo viva longe de seu filho procure fazer um “novo fim”, tratando de dar mais atenção a partir de agora para aquela criança que é seu filho e mesmo que não tenha condições de lhe oferecer grandes presentes, mas que lhe ofereça o fruto de seu carinho, seu amor sincero e puro.

A vida na Terra está conturbada demais exatamente porque as pequenas células (os lares) estão sem paz e enfermos. Daí o nosso propósito de orarmos pela paz dos lares da Terra, mas não basta pedirmos a Deus, necessitamos agir, fazer a nossa parte e procurar ter uma atitude melhor principalmente com aqueles com os quais temos grande responsabilidade!

De que adianta a casa bonita, o brinquedo moderno e o abandono?

O abraço, o beijo, a mão na cabeça, o sorriso franco são armas que todos podemos usar para ajudar
aos nossos jovens!

Um FELIZ NATAL custa tão pouco... Talvez seja um pedido de perdão ou de desculpas ou quem sabe um “eu sei que errei mas agora irei mudar”.

Izaura Hart
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui