JORNAL MILENIO VIP

Colunistas - Ivone Boechat

Natal de paz

Publicado na edição 117 de Dezembro de 2011

Os “homens de boa vontade” estão lutando desesperadamente para mudar a política dos homens com má vontade de acertar. Até porque no Natal de luz vai faltar luz para acender milhões de árvores de Natal de R$ 1,99.

20,2 milhões de pessoas pobres não têm energia elétrica no Brasil. 48,4% da energia produzida por hidroelétricas no Brasil são utilizados por empresas.  6% da população mundial que vive nos países ricos consomem 1/3 de toda a energia hidroelétrica produzida.

Segundo o site http://www.consciencia.net “O modelo energético favorece grandes empresas e não alcança nem interessa à maioria da população.”

Na ceia de Natal, com certeza, o peru do jantar será representado pelo cabo eleitoral do angu de fubá da cesta nada básica, distribuída no curral de cada zona. Aí, reúne-se a família em volta da árvore ultra iluminada, se você estiver entre os felizardos que têm energia elétrica, sobrecarregada de presentes, traumatizada pelos ausentes e a sociedade é capaz de cantar: “tudo é paz”.

O Brasil corre o risco de não ter mais papai-noel com mais de 60 anos, porque o índice de idosos abandonados, agredidos e mortos, cresce a cada dia! Antes de ligar para  alguém e desejar Feliz Natal, se você tem conhecimento de alguma injustiça social, corra ao serviço que recebe denúncias de abandono e maus-tratos a pessoas de idade:  Disque-Idoso, no telefone 0800-410001, ou pelo disqueidoso@setp.pr.gov.br.
Só para se ter uma idéia da situação, a Fundação de Ação Social (FAS) constatou que em Curitiba cerca de 40% dos idosos que vivem nos 53 asilos da cidade não têm mais contato algum com a família. Quando o estudo se limita às 11 instituições públicas ou mantidas por fundações e organizações não-governamentais, a situação piora: 70% dos internos foram abandonados pelas famílias, que a essa altura estão ensaiando o coro: tudo é paz.

O Rio concentra o maior índice de idosos do país. Correspondem a 12,53% da população total do município.  Em agosto de 1999, a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio (Faperj) contaram 3.535 pessoas nas ruas. Desses, 40% são idosos, doentes mentais e portadores de patologias diversas. A  situação não melhorou, porque o número de idosos abandonados nas ruas, nos asilos, nos hospitais aumentou muito e as pessoas continuam cantando: “tudo é paz”.

Os presentes de Natal, nem sempre necessários, muitas vezes, são o cala-a-boca pela ausência sistemática e a omissão. Pais e avós, tios idosos, filhos sucateados, torcem para chegar a única época do ano em que um fio de esperança escorra pelo rio poluído e ressecado do abandono.

Não só em tempo de Natal, prepare o melhor abraço, aquele sorriso guardado, desocupe as gavetas entulhadas de roupas que você não usa mais e ficam no seu brechó particular, distribua tudo, principalmente, promova a paz, porque sai baratíssimo promover a “paz na Terra’. A guerra custa trilhões, a paz se faz todo dia de graça!

O perdão que distribui a paz é gratuito, tem embalagem perfeita, pronta-entrega, in delivery: seu coração. Prepare seu despertar, às 24h do dia 24 de dezembro, ligue para aquela pessoa que você jurou ódio, para os seus pais que você deixou pra lá ou... perdoe a você e faça o propósito de ser melhor em TUDO daqui pra frente. Agora, sim, peça perdão a Deus pelo mal e saia correndo para desejar a todos FELIZ NATAL!

Pra comemorar sua iniciativa audaz, cante bem alto: “tudo é paz”.

Ivone Boechat
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui