JORNAL MILENIO VIP

Colunistas - Izaura Hart

E o Amor Venceu!!!

Publicado na edição 123 de Julho de 2012

 

Ela, jovem professora recém formada em uma Escola Normal, aluna interna, ia de 15 em 15 dias para a casa dos pais na capital de um país da América Central. Ele,  filho sem pai, criado por sua mãe em casa de seus avós junto a outros irmãos de outros pais.

Certo dia, ambos saindo da adolescência, se apaixonaram e tão logo ela se formou, casaram-se fazendo juras de amor eterno, como a maioria faz.

Iniciou a luta pela vida, ele ainda indo à Universidade à noite, ela trabalhando o dia inteiro com alunos surdos mudos, sua especialidade.

Veio então a primeira filha, toda a luta para criá-la, deixando-a com a avó paterna durante todo o dia, indo buscá-la à noite. Após 3 anos chegou a segunda filha que foi também criada da mesma forma.

A única mudança em sua vida  eram as saídas do esposo, a indiferença que ela não queria ver... até que, um dia não sei se sonolenta, só ela sabe  verdadeiramente como, assinou um documento que o esposo lhe deu e dias depois ficou sabendo que era um pedido de divórcio.

Divorciada, com duas filhas, ele se ausentou do lar e passou a conviver com a companheira que na primeira gravidez lhe deu duas meninas ( gêmeas) e veio a segunda gravidez de mais uma menina! Casou-se  então, com a segunda companheira e diante de tudo isso a primeira esposa se manteve firme, valente, cuidando de suas filhas e permitindo que ele fosse visitar as meninas normalmente.

O tempo passou e veio a decepção, o amadurecimento deste rapaz agora com mais de 40 anos.

Que fazer da vida?

Procurou  a primeira esposa que permaneceu como que esperando-o todos esses anos!

Recomeçou novo “namoro” diante dos olhos assustados de suas duas filhas! Conversaram, se acertaram, ele conseguiu provar que o tempo o tinha modificado e que lhe daria toda a felicidade de volta numa convivência de muita harmonia.

E assim foi. Tiveram mais uma menina e quando a caçula já era adolescente um câncer avassalador tomou conta daquela mulher tão forte que ainda lutou muito tentando recuperar sua saúde, mas a doença a  venceu. Ele se manteve ao seu lado como um grande guardião, sofrendo e  tudo fazendo junto a ela para vencer o grande mal que a atormentava.

Ela despediu-se desta vida, buscando a vida verdadeira com fé e coragem até o fim.

Deu a todos nós um grande exemplo mostrando  a importância do  perdão mas, acima de tudo a força de um grande amor!


Izaura Hart
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui