JORNAL MILENIO VIP

Colunistas - Izaura Hart

A FORÇA MORAL

Publicado na edição 127 de Novembro de 2012

O Professor Hyppolyte Léon Denizard Rivail, em 1828, quando era conhecido apenas como discípulo de  Pestalozzi  e já era Diretor da Escola da Academia de Paris e membro de várias sociedades científicas,  escreveu um livro intitulado “Plano proposto para a Melhoria da Educação Pública”.

Nele o ilustre Professor Francês nos diz que “o objetivo da educação consiste no desenvolvimento simultâneo das faculdades morais , físicas e intelectuais”.

As tão sonhadas qualidades morais são adquiridas pelas crianças no seu dia a dia, nas diferentes  experiências e impressões que a criança recebe, desde o seu nascimento e até mesmo antes dele.

Tudo que a criança experiencia, ouve ou  vê   lhe causa uma  impressão que pode ser boa ou ruim, dependendo do que queiram  que ela aprenda.

Muito grave é a situação de certos menores que  vivem cercados de adultos inconseqüentes, que também não foram bem educados e que tratam de passar aos  educandos  o resultado  de suas vidas, como se fosse uma enorme síntese. 

A educação intelectual é o conjunto das idéias adquiridas, a educação moral será o fruto das impressões recebidas. Sendo assim, convém evitar todo e qualquer costume  que venha “marcar” a fogo   a moral  infantil.

O pai ou a mãe que não se preocupa em fazer devolver o objeto levado por seu filho, ou que mostra como “natural” a falcatrua, o $  “surrupiado” de algum distraído,  a mentira contada naturalmente, o vício de qualquer espécie, estará deixando como se fossem manchas no caráter  daquela criatura que impossibilitarão a consciência de permanecer tranqüila.

Além disso,  o excesso de “desculpas” para os erros dos filhos  como o excesso de rigor, podem dificultar a educação moral das crianças.

É difícil também de se aceitar, mas muitos pais “marcam” seus filhos dando grande importância para a superioridade da  força física ou da roupa que usam, desta ou daquela marca   esquecendo do quanto é vital  a superioridade da força moral!

Ah, grandiosa força que permite  o olhar  seguro  “olho a olho” e que faz balançar o fraco , o culpado , o mentiroso!

Se os homens e mulheres de toda a Terra entendessem o quanto “pesa” a força moral,muitas guerras seriam evitadas, muito choro seria poupado.

Mas a Lei de Progresso que não “brinca em serviço”, fatalmente proporcionará em um futuro, uma humanidade mais segura de si, iluminada pela força da moralidade com Jesus!

 

Izaura Hart
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui