JORNAL MILENIO VIP

Colunistas - Roberto Silva de Siqueira

COMPRA POR IMPULSO O OUTRO LADO DA MOEDA

Publicado na edição 127 de Novembro de 2012

Em matéria publicada em agosto/2012 enfocamos as armadilhas que o consumidor está sujeito e que o impelem, muitas das vezes, a fazer uma compra de um produto ou serviço, sem ter a real necessidade de consumir.

Gostaria de enfocar nesta matéria um possível outro lado da moeda, ou seja, do ponto de vista de muitos consumidores, ou novos consumidores que vêm surgindo e que ingressam no mercado com outro paradigma totalmente diferente do que até então os antigos comerciantes, hoje com a denominação do Código Civil, empresários, podiam imaginar
Do ponto de vista das gerações, e esta não é uma classificação muito precisa, os estudiosos e pesquisadores, dividem as gerações mais recentes em Geração Baby Boom (ou veteranos), nascidos entre a 1ª e 2ª Grandes Guerras Mundiais, hoje em média possuem 70 anos de idade; Geração Baby Boomers, nascidos depois da 2ª Grande Guerra Mundial, ou seja, após 1945, hoje com aproximadamente 63 anos de idade; Geração X, nascida entre os anos de 1966 e 1977, hoje em média com 50 anos de idade; e a Geração Y, nascidos entre 1977 e 2000, hoje em média com 23 anos de idade.

As Gerações Baby Boom e Baby Boomers são compostas de pessoas que valorizavam o emprego fixo e estável permanecendo toda uma vida trabalhando para uma única empresa, em busca de estabilidade no emprego. Foram educados para conviverem em um sistema de obediência à hierarquia. Têm como hábitos de consumo compras prioritariamente à vista. São responsáveis por boa parte do estilo de vida dos dias de hoje, conquistas materiais, como casa, carro e acesso ao entretenimento.
As Gerações X e Y tiveram a oportunidade de ver a tecnologia surgir. São mais informais no que tange as relações de emprego e não valorizam tanto a permanência por longos períodos trabalhando na mesma empresa.

A atual geração, a Geração Y, umbilicalmente ligada à tecnologia é, segundo Ana Paula Kuntz, composta de filhos superprotegidos e acostumados a terem o que querem para compensar a ausência dos pais workahoclics, exige esse equilíbrio entre o profissional e o pessoal, é agitada, inquieta e sabe como nenhuma outra lidar com a tecnologia. Por ter crescido com amplo acesso ao conhecimento.

Ou seja, quanto mais conectada à tecnologia a geração estiver, menos susceptível estará às compras por impulso. Isto porque, quanto mais informado o consumidor, mais certo do que quer comprar estará.

Hoje, a Geração Y sabe mais sobre o produto ou serviço que quer consumir do que o próprio vendedor do produto ou serviço.

Enquanto os membros das Gerações anteriores são fieis aos restaurantes, lojas e lugares que frequentam. Os atuais consumidores usuários das tecnologias seguem a política do enquanto estiver bom eu fico. Se não está bom eu mudo.

Sendo assim, como uma forma de antídoto às armadilhas do consumo por impulso, temos uma gama de novos consumidores que ingressam no mercado com outros paradigmas.

Roberto Silva de Siqueira
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui