JORNAL MILÊNIO VIP - JUBILEU DE PRATA DA CASA DE ALCINDO GUANABARA

Colunistas - Antônio Seixas

JUBILEU DE PRATA DA CASA DE ALCINDO GUANABARA

Publicado na edição 129 de Janeiro de 2013

Quando a Academia Mageense de Letras foi fundada em 26 de agosto de 1988, seus fundadores escolheram para patrono cívico da nova entidade o jornalista, escritor e político Alcindo Guanabara, nascido na cidade de Magé, em 19 de julho de 1865, e falecido no Rio de Janeiro, em 20 de agosto de 1918.

Alcindo Guanabara foi um homem de letras, segundo o historiador Gustavo Barroso, que o jornalismo prendeu em suas garras e atirou as lutas políticas. Em sua trajetória política somam-se cinco mandatos de deputado federal e a eleição para o Senado Federal em 1912.

Eleito Príncipe dos Jornalistas Brasileiros, pela Associação Brasileira de Imprensa (1915), Alcindo Guanabara fundou os jornais Fanfarra (1886); Tribuna (1898-1903); Novidades (1887-1892); A Nação (1904) e O Paíz (1904-1906).

Como escritor, Alcindo publicou, entre outras obras, “A presidência Campos Sales” (1902) e “Discursos fora da Câmara” (1911), sendo a primeira reeditada pelo Senado Federal até hoje, por ser uma importante contribuição, fruto de um testemunho da época, trazendo subsídios significativos inclusive no plano da política externa brasileira. Membro fundador da Academia Brasileira de Letras, ao lado de Machado de Assis e Olavo Bilac, o escritor mageense foi o primeiro ocupante da cadeira n.º 19.

A Academia Mageense de Letras, a Casa de Alcindo Guanabara, sob a presidência do acadêmico Alzir Ferreira, comemorará seus vinte e cinco anos de fundação com uma programação especial, que inclui o lançamento de nova antologia de trabalhos acadêmicos, concursos literários e a realização de palestras que serão oportunamente divulgadas.

 

Antônio Seixas
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui