JORNAL MILÊNIO VIP - Vala – O Ânus de uma Cidade

Colunistas - Tassélio de Souza Pereira

Vala – O Ânus de uma Cidade

Publicado na edição 130 de Maio de 2013

Você já imaginou ir ao sanitário e não limpar seu lugar excuso? – É assim que estão fazendo com as valas de Magé. – Ué! ... – Mas não existe Secretaria de Meio Ambiente? E a de limpeza urbana?... – Na década dos anos de 1940, eu via que o serviço de endemias rurais limpava todas valas negras de Magé com foice, enxada e pá. – Hoje existe:  Retroescavadeira, roçadeira elétrica, manilhas de cimento e até de borracha, e a limpeza não é feita. – Será que de fato Magé está no caminho certo? – Em cinco de dezembro de 2009, fui à sede do PMDB do RJ votar na candidatura de Sérgio Cabral para que pudesse concorrer à reeleição, e na oportunidade solicitei à dragagem da embocadura do canal de Magé. Em 2010 o engenheiro José Luiz Leite lotado no INEA da rua Sacadura Cabral, me telefonou, solicitou um barco foi a foz do canal de Magé,  e no retorno foi entrevistado pela jornalista Rosinha Matuck por eu convidada. Ele disse-nos que voltaria com o engenheiro da empreiteira para avaliar o custo da obra. – Perguntou  onde jogaria a lama visto que o IBAMA não deixa jogar sobre o mangue. – Mostrei-lhe um capinzal após o mangue e por traz da Vila da Liberdade, ele bateu duas fotos desta reserva da marinha de guerra para pedir permissão e ali a draga terrestre já jogou lama retirada do canal, mas à dragagem que pedi ainda não foi feita. Mostrei ao engenheiro o valão que corre ao lado do canal e as manilhas que consegui da firma Galvão Contreiras para que fossem assentadas nele; - Mas disse-me isto:- Do pontilhão da Rua da União em direção à rodovia pode manilhar, em direção ao mangue não.

A minha luta para manilhar este valão começou no governo de Renato Cozzolino em 1983 e nunca mais parou. Sobre este assunto, no dia 29/08/2011 protocolei um em nome do Dr. Cláudio da Paquera solicitando o término da obra iniciada no fim do governo anterior. Quando veio ao bairro Canal pedir voto Nestor Vidal disse que a obra tinha que ser feita antes de sua reeleição, mais tarde já reeleito, me disse dentro do saguão da prefeitura que ia enviar mais manilhas para o local. No dia internacional da Mulher, na Rua Salma Repani, quando se dirigia à Câmara Municipal, já mudou sua intenção pois me disse: - Vou fazer uma grande obra no Canal, mas vai demorar um pouco.

-Enquanto  não sucede o povo vai contraindo dengue e enchendo o hospital de Magé. – Sr. Prefeito o senhor é bastante espirituoso e o povo confiou no vosso dinamismo, mas presta atenção nisto: - Jesus teve doze discípulos, foi traído por um. O senhor tem vários secretários. Confia em todos?

-Jesus afirmou que maldito é o homem que confia em outro homem. O senhor não acha melhor verificar de perto o que está acontecendo de fato?

- Eu sou povão e estou vendo, aconselho dar um passeio também nos hospitais do município.

Tassélio de Souza Pereira
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui