JORNAL MILENIO VIP

Colunistas - Dulcimar Menezes

É grande a minha gratidão!

Publicado na edição 133 de Setembro de 2013

“Ninguém cura ninguém. Ninguém se cura sozinho. Curamos-nos nos encontros.”

Com esta frase do Roberto Crema, psicólogo e reitor da UNIPAZ, neste dia do psicólogo gostaria de introduzir algumas pequenas palavras de agradecimento e reverência aos meus clientes amigos e a todos os amigos e não clientes, seres humanos que ainda sofrem as dores da alma pela miséria do mundo e as dores do mundo pela miséria da alma.

É grande a minha gratidão pela vossa capacidade de se afetar com a realidade do planeta e da sua adoecedora ordem social...

É grande a minha gratidão pela vossa mania compulsiva que me lembra de que pode existir e que de fato existe uma ordem melhor, ainda pouco conhecida, para todas as coisas do que esta arrumação doida que fizeram na nossa casa comum, onde ninguém consegue achar mais nada e coisa alguma funciona direito, traduzindo uma ineficiência global em encontrar soluções para as causas humanas...

É grande a minha gratidão pelas vossas fobias, que me recorda que devo ter atenção e não confiar somente naquilo que meus olhos veem, pois todas as coisas e fatos trazem embutidos em si um sentido somente desvelado pelos olhos do coração...

Maior ainda é a minha gratidão pelo vosso Pânico, que expressa a aversão humana em vossa face aterrorizada e corpo petrificado pelo pavor diante de um cenário de vida que de fato se tornou assustador, mas que a maioria dos homens com suas mentes turvas, olhos míopes e corações congelados pelo desencanto do espírito não se afetam mais, e desta forma serão incinerados sem ao menos sentir o calor do fogo!

Gigantesca é a minha gratidão pela vossa loucura que sobrevive e resiste bravamente a tortura do conceito, seja ele qual for, e existe a despeito da ordem aniquilante de não existir na diferença, me lembrando do dom da liberdade que fundamenta que para ser o Ser necessita de ser em si e não fora de si e assim aprender a se relacionar na hospitalidade com o limite do diverso no Universo sem fronteiras!

É grande a minha gratidão pela vossa angústia, que denuncia o estreitamento do ser perdido em si mesmo, mas que, no enfrentamento desta dor lancinante, descobre a coragem de ser sujeito da própria existência, me desafiando permanentemente a não desistir da minha silenciosa gritante luta em busca de mim mesma...
 

É grande a minha gratidão pela vossa ansiedade que tem pressa em encontrar um caminho de felicidade e se perde pelos caminhos tortuosos vasculhados aqui e ali, se esvaindo na exaustão do desatino, porém jamais vazio de ternura e esperança, me ensinando que não há tempo a perder...
Enfim, costumo dizer que, se ao longo destes anos percorri um caminho de sucesso profissional, devo este mérito aos meus clientes que compartilharam em minha sala os seus relatos íntimos de conflitos e sofrimentos, pois estes representam uma minoria criativa que no compadecimento de si mesmo, humanitariamente se compadecem das dores do mundo... E choram, e gritam, e temem, e erguem os olhos aos céus... E no fundo não são doentes como muitas vezes os querem fazer crer, mas sim inconscientemente indignados por tanta tormenta que os homens têm infligido aos próprios homens...

Indignai-vos, portanto, e contem comigo sempre! É grande a minha gratidão!
 

Dulcimar Menezes
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui