JORNAL MILENIO VIP

Colunistas - Izaura Hart

Egoísmo ou Defesa da Honra?

Publicado na edição 133 de Setembro de 2013

Aquele senhor chegou resfolegante ao escritório do Delegado.

Estava nervoso, preocupado porque havia tomado conhecimento que seu filho de 18 anos havia sido preso com drogas e, provavelmente o iriam enquadrar como “traficante”.

Iniciou a conversa dizendo que quando o menino tinha apenas um ano de idade começou a desconfiar que sua esposa, mãe da criança, o traía.

Ele 17 anos mais moço, tomado pelo ciúme, pela ira e principalmente pelo egoísmo, começou a mudar seu comportamento em casa, a tal ponto que até que a criança tivesse completado 5 aninhos
  não se lembra de lhe  ter dado um beijo se quer.

Pensando apenas em si próprio, no seu orgulho ferido, encontrou como “válvula de escape” oferecer o desprezo a todos dentro do lar...

Pensando em si, esqueceu do pedaço de si mesmo que perambulava entre aquelas paredes como ser esquecido por todos.

O espetáculo mais rotineiro eram as ofensas entre o pai e a mãe, as ameaças e
  a eterna dúvida: - Esse menino não é meu filho!!

Sabemos “que a maior parte das misérias da vida tem origem no egoísmo dos homens”. A preocupação em
se proporcionar satisfação e alegria  mesmo que a custa dos interesses e das necessidades do seu semelhante é maior que tudo para o egoísta!

Esse pai, por pensar “ na vergonha” de ter sido traído, mesmo sem nunca ter comprovado, em nenhum momento avaliou que o suposto erro poderia ter sido da mãe e não do menino! Ele foi punido por qual crime? Qual
  falha cometeu aquela criança?

Agora estava ali, diante do Dr. Delegado, sem ter o que dizer, apenas colocar para fora a sua falta de assistência moral e material àquele filho! O grande arrependimento por não tê-lo acompanhado em suas necessidades de jovem,
  por não tê-lo amado o bastante para procurar saber com quem e onde andava ao sair pela porta de sua casa!

As lágrimas eram grossas, daquelas que engordaram pela força do “orgulho ferido” de uma vida inteira!

- Como pode,
  doutor, meu filho envolvido com droga?!!

O instinto de conservação faz nascer o egoísmo e o orgulho. Não devemos exagerar um instinto que Deus nos deu para proteção, ao ponto de nos tornarmos as pessoas “mais importantes “ do universo, as inatacáveis.

Nunca poderemos viver em paz atacando-nos mutuamente e esmagando-nos uns aos outros.

O egoísmo daquele homem o cegou a tal ponto que perdeu seu filho de vista.

Quando se deu conta, quando resolveu olhá-lo a grade os separava!

Como dizia o querido Francisco Candido Xavier, “
não podemos fazer um novo começo, mas podemos iniciar agora e  fazer um novo fim”.

O Pai saiu cabisbaixo, pensando em agora fazer tudo pelo seu “menino abandonado” dentro do próprio lar....

Com certeza fará, porque a força do amor, principalmente quando o alimenta uma boa dose de remorso, é capaz de vencer todas as barreiras!

 

Izaura Hart
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui