JORNAL MILENIO VIP

Colunistas - Rosinha Matuck

MEUS 70 ANOS

Publicado na edição 134 de Outubro de 2013


Oh, que saudades que tenho da aurora da minha vida...

Assim Casimiro de Abreu começa seu belo poema “Meus Oito Anos”, escrito quando era pouco mais que um adolescente, já que mal conseguiu ultrapassar os vinte anos. Talvez não fosse tão nostálgico e não desejasse a volta dos tempos “que os anos não trazem mais” se tivesse a graça, que recebi, de viver mais...

Comemorar 70 anos, para mim, foi uma graça divina. Nunca imaginei chegar a tanto. Nesta caminhada estou - e sou - muito feliz. Tive e tenho tudo que imagino merecer, sempre agradecendo a Deus o privilégio de todas as graças. Não tive caminhos de pedras, embora na minha juventude alguns vieses, para minha idade, tenham sido difíceis de entender. As doenças de família foram só de aprendizado. A graça de um filho entendo que foi um milagre em minha vida, como tudo que depois aconteceu.

Logo, comemorei.  Foi lindo receber todos os abraços que recebi. De coração agradeço, muito, o carinho de todas 250 mensagens e mais uns 50 telefonemas que fizeram de mim a mulher mais amada do mundo - pelo menos do “meu” mundo.

Dizem que os amigos se contam nos dedos e sobram dedos. Eu digo que, graças a Deus, os meus dedos não são suficientes para o tantão de amigos que imagino ter. É muito importante que saibam que gostaria que todos tivessem estado na minha casa para celebrar o meu aniversário. Para mim, estar juntos de todos seria o máximo, mas tive que optar pelos que há muito caminham comigo: a minha família e alguns amigos que se tornaram irmãos ao longo das minha sete décadas. Pois se tivesse condições faria uma festa na praça da prefeitura, para caber todo mundo...

A todos e especialmente ao GIL que uma semana passou em minha casa se doando no que mais gosta de fazer , decorar , a Érica que com suas mãos de fada me presenteia com sua arte de fazer meus lindos bolos que muito me emociona e sensibiliza,  ao Dr Marcos meu cirurgião e amigo o grande incentivador de minha auto estima, a Plínio meu amigo de sempre, a Marcelo meu fotógrafo preferido, e O Cheff Amaral com sua equipe, além de muitos outros que mais uma vez, agradeço pelo carinho e respeito, certa de que contarei com a compreensão de todos que não pude receber – saibam que moram no meu coração.

Aqui o espaço é insuficiente para todos os agradecimentos. Daí deixar guardados no meu coração apenas o muito amor que no dia a dia recebo dos meus amigos de sempre. Obrigada, amigos, por me fazer muito feliz, sempre! A festa foi nossa!

 

Rosinha Matuck
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui