JORNAL MILÊNIO VIP - É necessário acreditar que é possível mudar

Colunistas - Robson Pereira

É necessário acreditar que é possível mudar

Publicado na edição 134 de Outubro de 2013

Não podemos mais nos acomodar diante dos problemas, não dá mais para ver o mundo desabar ao nosso redor e dizer que isso não é conosco. Que planeta queremos para os nossos filhos? Que legado queremos deixar? Essa é uma difícil pergunta, porém a resposta é simples. “ Reguem os seus jardins ao invés de esperar que lhe tragam flores”. O possível está em cada um de nós fazer a sua parte, e certamente teremos os frutos colhidos em nossos pomares. É inadmissível pensar em mudanças, enquanto ainda só conseguimos olhar para a direção dos nossos próprios umbigos. O momento é mais do que propício para a transformação dos hábitos, para revermos os nossos conceitos e pensar prioritariamente no coletivo. É momento de olhar as lutas de classes, e perceber a real intenção nelas incutida, para que  não passemos de um gigante que despertou e sejamos promovidos a uma grande massa de manobra. Amigos, o momento é agora, e o tempo que temos é já! Vamos sair de nossas zonas de conforto, e travar uma batalha definitiva onde o conhecimento deva ser a nossa maior arma contra a infinita luta pela conquista do poder. Temos que investir sempre em novas informações, novas técnicas de educação, novos métodos que encurtem as diferenças e valorizem o respeito entre as pessoas, e só assim teremos alguma chance de mudar a nossa dura realidade.

É duro ter que aceitar que mascarados lutem  no meio de professores, que professores lutem por conquistas que podem estar mascaradas atrás de interesses que nem sempre são os interesses reais da categoria, que em nome da democracia somos obrigados a presenciar a destruição do patrimônio público, que o direito de ir e vir seja desrespeitado, e na melhor das hipóteses, se ganhe algumas migalhas ao final de uma batalha onde já  entramos derrotados. Militando pela educação estou construindo a minha história de vida, foi pela educação do meu filho que voltei para a sala de aula após os quarenta anos de idade, e é por essa educação que hoje convido todos para essa reflexão: Eu apoio a categoria, amo a democracia, mas primo pela educação dos nossos filhos. Eu acredito que “ É na sala de aula é que se faz um cidadão, é na sala de aula que se faz uma nação”. Eu apoio a luta por uma educação de qualidade, apoio a luta por salários e condições dignas de trabalho, só não posso e não quero acreditar que a força vença a razão nessa batalha, que  penso, deveria ser por um país melhor e não para definir quem é mais forte.

Um forte abraço!

 

Robson Pereira
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui