JORNAL MILENIO VIP

Colunistas - Luiz Gurivitz

CONSTELAÇÕES SISTÊMICAS

Publicado na edição 135 de Novembro de 2013

O trabalho sistêmico fenomenológico vem a partir da concepção da vida, do fluir no desenvolvimento natural. Estamos inseridos dentro de um grande sistema contínuo de diversos elementos que interagem entre si e que são complexos e interdependentes. Nenhum organismo é um sistema estático, fechado ao mundo exterior e sim um sistema aberto num estado (quase) estacionário, onde há uma constante troca de informações entre os mais diversos níveis.

Nascemos dentro de um sistema familiar, que existe há muitos anos e onde não sabemos direito o seu histórico por completo. Foram gerações atrás de gerações, com muitas histórias, acontecimentos e situações felizes e trágicas.

Herdamos através dos nossos pais e ancestrais toda a carga morfogenética e não nos damos conta dos padrões, das crenças e até mesmo dos repetecos de histórias dentro da nossa família.

Padrões de comportamentos

Por exemplo, quando temos algum comportamento como violência, ciúmes, envolvimentos com drogas ou sentimentos de depressão entre outras manifestações, muitas vezes podemos estar identificados com um membro da família seja pai, avô, tio ou mesmo ancestrais de gerações ainda mais anteriores, sejam pessoas vivas ou falecidas.

O trabalho com a Constelação Familiar é uma oportunidade de identificarmos de forma consciente o que está acontecendo com o sistema familiar, podendo assim resolver os conflitos a partir da escolha interna de cada um. Possibilita   revelar  de que  forma  os vínculos  familiares  se estabeleceram, e como dissolver possíveis emaranhados. O fundamento das soluções sistêmicas consiste em liberar a força do amor. Essa força  transformadora  flui quando todos os membros do sistema familiar ou organizacional são reconhecidos, honrados e respeitados no seu devido lugar.

Como o trabalho é desenvolvido

O trabalho com Constelação Sistêmica pode ser realizado em grupo (workshop) ou individualmente (terapia). É um método sistêmico-fenomenológico. O constelador ou terapeuta centra-se em sua percepção e no campo, deixa de lado as próprias crenças e valores pessoais para acompanhar aquilo que se apresenta no campo de energia do trabalho.

Em grupo, o cliente escolhe participantes presentes no workshop para representar membros da sua própria família ou da situação que deseja constelar. Essas pessoas assumem posturas dentro do campo da constelação, onde a partir de então o importante é perceber qual a necessidade de cada um, respeitá-la e viabilizar a oportunidade para que o cliente encontre paz, felicidade e um destino harmonioso.

No atendimento individual o modelo é o mesmo, porém o processo é todo feito diretamente com o cliente, pois é ele próprio que irá perceber o que está acontecendo, ou seja, é ele que vai colaborar na solução do conflito.

O que podemos trabalhar

Como é um trabalho de pulsação da vida, do fluir da energia vital, então tudo que está relacionado com a vida pode ser trabalhado, desde que traga um significado importante para o cliente. Alguns dos temas que podem ser trabalhados em uma constelação:

• Conflitos familiares (pais, filhos, irmãos, tios, avôs);
• Conflitos entre casais;
• Dificuldade em lidar com perdas de parentes, pessoas queridas ou parceiros;
• Dificuldade em relacionar-se de uma forma geral;
• Dificuldade em comunicar-se;
• Problemas de saúde; Drogadição; Alcoolismo;
• Conflitos entre sócios, funcionários e clientes organizacionais;
• Problemas financeiros, entre outros temas.

Luiz Gurivitz – psicólogo (22) 99739 3554

 

Luiz Gurivitz
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui