JORNAL MILÊNIO VIP - Mãe distraída? Nunca!

Colunistas - Izaura Hart

Mãe distraída? Nunca!

Publicado na edição 140 de Maio de 2014

Diante das exigências do mundo moderno e do momento de “transição” que vivemos, a mãe já não é aquela que fica em casa, como dizia a canção popular, “com o avental todo sujo de ovo”.

A mãe atual é aquela que estuda, se instrui, trabalha, está “ligada” na internet ou a um simples celular, mas é outra mulher.

Que assim seja, porque não se pode fugir ao avanço, é necessário suprir as necessidades que o mundo vai impondo, mas  o que não pode acontecer é que a “mulher mãe” seja distraída. Ela precisa ter um foco na educação de seu filho.

Gosto muito de fazer uma analogia simples: pegue um ovo, quebre-o e coloque-o, com muito cuidado na palma de sua mão meio em concha. Tente fazer alguns movimentos  sem que a clara do ovo escorra entre seus dedos. Veja quanto tempo você consegue manter o ovo intacto. Se em um “piscar de olhos” uma gota da clara escorrer, lá se vai toda a clara e até mesmo a gema!

Assim é também com seu filho. Ele é o ovo na palma de sua mão. 

Seja forte, equilibrada, não trema e acima de tudo não se distraia, porque  a clara poderá iniciar o processo de “escorregar” entre seus dedos e como fazer parar? É muito difícil controlar depois de iniciado!

Foco, na formação da criança, do jovem e do adolescente que Deus lhe confiou com extrema confiança!

Nada de delegar à escola ou à religião a educação que deve ser oferecida no lar!

Observe os passos, a índole, as tendências de seu filho. Carregue-o com extremo zelo e cuidado entre suas mãos bondosas e não permita que ele tenha em você a juíza inclemente ou a policial que apenas pune. Seja a irmã, a amiga ou a melhor colega de folguedos quando necessário.

Fantasie com ele e faça com que ele sonhe, com que ele crie e acredite que o mundo caminha para ser ainda melhor!

Não perca seu filho como se ele escorregasse entre seus dedos!

Ser mãe é tarefa difícil e  que não é ensinada à mulher. Aprende-se na medida de sua própria experiência e colocando o amor materno como farol que ilumina a estrada de cada uma. 

É difícil? É, não nego. Mas é extremamente gostoso e motivador! Que desafio importante na vida da mulher, ser co-criadora com Deus!

Bênçãos, muitas bênçãos para cada uma delas e acima de tudo muita inspiração divina!

Izaura Hart
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui