JORNAL MILENIO VIP

Colunistas - Luiz Gurivitz

Harmonia Energética Vital

Publicado na edição 141 de Junho de 2014

Independente do sexo, toda pessoa traz as energias feminina e masculina. A energia masculina caracteriza-se pela objetividade, razão e foco em uma única direção. Já a feminina é subjetiva, emocional, com atenção possível para várias direções. Equilibrar essas forças pode fazer com que o indivíduo se sinta mais pleno. A qualidade desta energia é fundamental no desenvolvimento de nossas vidas, já que mulheres e homens a possuem de modo mais ou menos desenvolvido. Uma energia não se sobrepõe a outra, elas são complementares, necessárias. Através das polaridades feminina e masculina, Yin e Yang, é que fazemos as trocas energéticas importantes para nossa energia vital. A energia feminina tem o poder de movimentar a energia masculina. Existem homens que têm a energia maternal mais aparente, já que eles acabam desempenhando, por necessidade ou opção, este papel na família. Nesses casos, eles desenvolveram mais este lado feminino da energia, porém a energia maternal feminina é necessária durante a vida familiar, mas deve ser observada atentamente pela mulher. Ao se tornar mãe, é preciso saber equilibrar este aspecto, sob risco de desequilibrar sexualmente a relação do casal, por exemplo.

Prazer nos Relacionamentos


As energias femininas e masculinas influenciam significativamente a interação entre um casal. Se estiverem equilibradas, podem oferecer uma relação carinhosa e duradoura, que permite o desenvolvimento dos dois no caminho de seu amadurecimento sexual e emocional. A energia masculina simboliza atitudes relacionadas aos cuidados e ao fortalecimento da família, acolhendo e atuando de forma conjunta à energia feminina. A energia feminina é voltada à criação e educação dos filhos, acolhimento da família no lar. A chamada relação Pai-Mãe, na qual cada um assume unicamente uma energia em detrimento da outra, torna-se pouco desejada na vida moderna. O encanto e o aprofundamento sexual do casal que baseia a sua relação neste desequilíbrio energético acontecem em um nível pouco profundo e prazeroso, muitas vezes tornando-se uma obrigação conjugal. Ir com a “mãe” ou com o “pai” para cama não é muito desejado ou desafiador e a relação tende a ser morna. Nota-se a insatisfação na postura destas pessoas. O marido por vezes trata a esposa como “mãe” e ela o trata como “pai”. Quando ambos tomam conhecimento desta tendência, é possível começar a trabalhar a relação insatisfatória com o outro, mudando de atitude e se abrindo para a oportunidade de transformação.


Como Equilibrar


As qualidades que as mulheres têm procurado nos homens, como proteção, força, poder, responsabilidade, atenção, excitação e romance necessitam ser desenvolvidas nelas mesmas. A fórmula é simples: trate-se da mesma maneira que gostaria de ser tratada por um homem, e aí poderá notar que o que cria em si é espelhado fora de si. Quando tiver desenvolvido o seu lado masculino, que a apoie e ame, você atrairá sempre pessoas em sua vida que refletirão esse processo. Quando uma mulher se apaixona por um homem, ela está percebendo sua própria energia masculina refletida nele. Já as qualidades que os homens costumam procurar nas mulheres, como cuidado, calor, força, sexualidade e beleza também existem dentro deles mesmos no seu aspecto feminino. Assim que aprenderem a respeitá-lo, ouvi-lo e segui-lo, atrairão para as suas vidas mulheres que reflitam essa integração. Portanto, ao saber que a pessoa por quem sentimos atração é o reflexo de nós mesmos, não necessitamos mais ser dependentes do outro. Afinal, é assim que descobrimos que tudo que vemos no outro também está presente em nós mesmos.

Luiz Gurivitz
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui