JORNAL MILENIO VIP

Colunistas - Izaura Hart

Mãe é mãe...

Publicado na edição 149 de Maio de 2015

É, mãe é mãe mesmo!

Com raríssimas exceções, o instinto materno faz com que a mãe rica ou pobre, branca ou negra, culta ou analfabeta, americana ou asiática tenha as mesmas preocupações e reações diante de fatos que aconteçam aos seus rebentos.

O desejo é sempre o de proteger, aconchegar, repreender, orientar, ensinar um caminho melhor, sempre achando que o filho ainda é “inocente”, “imaturo”, que vai se deixar enganar, tenha a idade e a instrução que tenha!

Daí se dizer que “mãe é tudo igual”! É tudo igual sim, porque em geral, todas são portadoras de um grande e incondicional Amor! 

Maria, a mãe de Jesus, quando percebeu que Ele havia ficado no templo com os doutores, apressou-se em ir buscá-Lo, cheia de preocupação!

Ao sabê-Lo na cruz infame, lá permaneceu acompanhando Sua dor e ouvindo dÊle as últimas recomendações: _”Mulher, eis aí teu filho,” e voltando-se para João, o discípulo querido que a acompanhava: “- Eis aí tua mãe”.

Era Jesus dando o grande exemplo de preocupação com Sua mãe para não deixá-la  desamparada!  Pedindo a João, que assim o fêz, um cuidado com aquela que o trouxe ao mundo.

Há poucos dias vi em uma revista de grande circulação uma reportagem falando sobre “as mães do crack”. Lá estava uma jovem, com sua filha recém nascida, na grande luta para vencer o vício e continuar amamentando sua bebê!

Não sei se ela sucumbiu ao vício ou se o Amor Materno conseguiu vencer aquela batalha, mas ela estava tentando por amor à sua filhinha, indo quase à loucura.

Assim somos nós, as mães. 

Temos defeitos, os filhos reclamam, mas o amor é tanto, tanto!...

É que esse amor é capaz dos maiores sacrifícios, das maiores renúncias e de grandes demonstrações!

Feliz a mulher, que mesmo com filhos não consanguíneos, filhos muito amados do coração, permitem que esse amor brote e cresça dentro de si!

O mundo é difícil, a vida é dura, mas seria muito pior se, em meio a tanta coisa que acontece e que nos aterroriza, não houvesse o amor de mãe para amenizá-lo!

Mãe é tudo igual mesmo!

É através delas que o elo do amor de Deus envolve a Terra!

É o amor que mais se assemelha ao amor do Pai, desinteressado, incondicional!

Para todas elas, mais sofridas ou mais felizes, muito ou pouco amadas, tidas como más por quererem sempre o máximo de seus filhos, o nosso carinho, o nosso reconhecimento e o nosso beijo  de amor! 

 

Izaura Hart
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui