JORNAL MILENIO VIP

Colunistas - Antônio Seixas

A sabedoria de Darcy Ribeiro

Publicado na edição 154 de Outubro de 2015

O grande pensador, antropológico e educador Darcy Ribeiro (1922-1997), que foi o responsável pelo tombamento das igrejas históricas de Magé, quando ocupou o cargo de Secretário de Estado de Cultura, em seu livro “O Brasil como problema” (1995), nos diz: “Fracassei em tudo o que tentei na vida.[...] Mas os fracassos são minhas vitórias. Eu detestaria estar no lugar de quem me venceu" (p. 32).

No próximo dia 19 de outubro se encerra a jornada deste colunista no Conselho Municipal de Política Cultural de Magé. Política Cultural, citando José Teixeira Coelho, é o “conjunto de princípios, iniciativas e medidas que visam promover a produção, a distribuição e o uso da cultura e a preservação e divulgação do patrimônio cultural de uma comunidade” (“Dicionário Crítico de Política Cultural”, 1997, p. 292).

Tomando o conceito de Teixeira Coelho como norte, tentei, como presidente do Conselho, implantar o Sistema Municipal de Cultura, como concebido pelo Ministério da Cultura desde a gestão de Gilberto Gil. Mas fracassei.

Como presidente do Conselho realizei, entre outubro de 2013 e setembro de 2015, sem um único centavo de verba pública, um total de 23 sessões ordinárias, duas assembleias gerais; cinco fóruns de cultura; três encontros temáticos. Esses números só foram possíveis graças ao apoio de alguns conselheiros de seguiram comigo até o fim do mandato.

O Plano Municipal de Cultura de Magé foi elaborado e aprovado pelo Conselho em 11 de novembro de 2013 e está na Prefeitura de Magé desde 21 de novembro de 2013 (Processo n.º 35.746/2013), mas o Prefeito Nestor Vidal não o enviou à Câmara Municipal de Magé.

O anteprojeto de lei do Fundo Municipal de Cultura de Magé foi elaborado e aprovado pelo Conselho em 25 de novembro de 2013 e desde o dia 13 de dezembro de 2013, está na Prefeitura Municipal de Magé (Processo n.º 37.702/2013).

Dois anos se passaram sem que Nestor de Moraes Vidal Neto, Angela Lomeu, Secretária de Educação e Cultura, e Alcília Brandão Teixeira, Presidente da Fundação Educacional e Cultural de Magé, tenham se preocupado em ouvir o Conselho Municipal de Política Cultural de Magé.

Uma última tentativa foi tomada em 27 de fevereiro de 2015 quando, na companhia de Alfredo Brandão, secretário-geral do Conselho, me reuni com Alcília Brandão Teixeira e com Thiago Santos de Souza, diretor cultural da FECM. Promessas foram feitas, mas oito meses depois, nada mudou.

Toda a documentação produzida pelo Conselho foi entregue ao Ministério Público Estadual. Com a palavra, a Justiça! Fracassei, mas como disse Darcy Ribeiro, eu detestaria estar no lugar destes que pensam que me venceram!

 

Antônio Seixas
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui