JORNAL MILENIO VIP

Colunistas - Antônio Laért

DESFRUTE OU FRITE

Publicado na edição 155 de Novembro de 2015

"repetir, repetir, até ficar diferente. Repetir é um dom do estilo".
Manoel  de  Barros (1916-2014)


Como se tornar melhor e mais disposto  a  enfrentar os  desafios  do  dia-a-dia ? Quer essa  receita mágica? Não precisa  se  recostar  na  poltrona,  nem  pensar muito, caro leitor. Te digo já  já,  quebrando  o  silêncio  de  dúvidas  do qual  será poupado.  A resposta  é exercícios. Sim, praticar exercícios físicos podem lhe proporcionar ao menos três a quatro horas a mais de  disposição em  sua  rotina  diária. Espero que a  brisa  realce  essa  resposta  para  você como  um  ponto  de  exclamação.  Nesse tempo de  aceleração  em  que  como  já  foi  dito “só  quero  saber  do  que  pode  dar  certo”,  talvez  não  seja  bom desprezar  a  dica,  naturalmente, consultando  seu  médico  e  sob  orientação de um  profissional.  Escolha também  sua  música  predileta. Como disse  Egberto  Gismonti,  existem  dois  tipos  de  música:  uma  que  você  precisa  para hoje e  outra  que  você  vai precisar amanhã. Armando-se dessa forma,   enfrentamos  com  encanto  a  rotina  dos  dias.  Lembre-se  da  canção: “o  que  se  leva  da  vida  é  a  vida  que  se  leva”.  Não se  entregue  e  nem  se  deixe  vencer  por  nada  ou  por ninguém. A vida  é  bela  e  cheia  de  significados.  Descubra, procure,  encontre,  ache  e  se  deixe  maravilhar. Como escreveram  Roberto  e  Erasmo  Carlos, “É preciso saber viver”. Esse mantra nos estimula a encontrar  os  segredos  escondidos  nas  entrelinhas  dessa  nossa  viagem  de  férias  aqui  pela  terra.  “Ensinai-nos a contar os  nossos  dias”.  Essa súplica  do  Salmo  89  contém  uma  sabedoria  perturbadora. Contar não a passagem dos dias, mas a intensidade  dos  mesmos,  haurindo  o  mel  que  encontramos  pelo  caminho e  que pode  permear  e  tornar  mais  doce as  coisas. Não  há  depressão  para  quem  se  dispõe  a se exercitar e  depois  enfrentar  a  batalha. O espírito nos ajuda em  nossa  fragilidade. Daquele instante em diante, o dia passa a  ter  outro  significado, ainda que o primeiro sinal nesse enfrentar-se seja  imperceptível e até mesmo de  aridez. Mas, não pare, continue, vá em  frente. Em determinado momento, a persistência é premiada com a sensação  boa  e  prazerosa  de  alegria,  bem  estar,  vontade  de mais,  que faz  bem  e  revigora o  corpo  e  a  alma. Tudo então se renova: o ânimo, a disposição, o empenho.  Nesse  tempo  difícil é  bom  prevenir  a  crise. Sendo inevitável,  que  ela então nos encontre  fortes. Tudo é  difícil,  com  exceção  do que  é  impossível.   

 

Antônio Laért
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui