JORNAL MILENIO VIP

Colunistas - Antônio Laért

Otimistas e pessimistas

Publicado na edição 159 de Agosto de 2016

“Lembrem de mim como de um que ouvia a chuva como quem
assiste missa, como quem  hesita, mestiça, entre a pressa e a  preguiça”.


"Apagar-me, diluir-me,desmanchar-me, até que depois de mim,
de nós, de tudo não  reste mais que o charme".

Paulo  Leminski(1944-1989)


Você é otimista ou pessimista?  Existe espaço nessa quadra da vida nacional para algum otimismo? Há alguma coisa que   recomende  ou sinalize esse sentimento? Há quem sofra de otimismo patológico, alimentando todos os dias a esperança de um futuro feliz. Fazem de um arqueiro um cavaleiro. Louvam exageradamente. Dão mais brilho. Combatem moinhos de  ventos. Vêem todos os seus patos como cisnes. São bem dispostos. Esperam contra toda esperança. Não se queixam da sorte. Banham-se em  água  de rosas. Voam em  céu  de brigadeiro. Sonham  sonhos de ouro. Vêem o lado brilhante do quadro. Olham com bons olhos. Tudo é  cor  de rosa.  Fantasiam, voam. Adejam  nas asas  da  fantasia. Enchem a alma de ilusões. Contam os pintos antes  do  nascimento. O otimismo é um mal ? Terá mesmo um lado sombrio ? É fundamental para o espírito humano ? Há algum perigo nessa falsa esperança ? E  o  pessimismo ? Existe alguma vantagem no pessimismo ? Os pessimistas atávicos têm a convicção de que a vida é um trem desgovernado e sem freio descendo ladeira  abaixo. Produzem muita trovoada e pouca chuva. Fazem tempestade num copo d´água. Apeam das estrelas. Descrevem  tudo  com negras  cores. Desmaiam os encantos. Diminuem o brilho. Desengrandecem. Têm um natural derrotismo, murmuram. Possuem o semblante carrancudo. São amuados, queixosos,  apocalípticos. Não estão para festas. Deixam murchar o riso. Têm negros pressentimentos, envolvem-se em desânimo, quebrantam o ânimo, são seres circunspectos. Fãs ardorosos do  passado.  De que  lado  está  a  força ? “Se  todos  fossem  iguais  a  você, que  maravilha  viver”. Quando se escreveu essa canção, fez-se clara  referência aos  otimistas. De fato “É melhor ser  alegre  que  ser  triste, alegria é  a  melhor  coisa  que  existe”. O convívio com os otimistas é  estimulante  e  inspirador.  Envolve aqueles que estão em seu entorno de maneira contagiante. Por vezes a alegria e  esperança  deles é  tanta  que  até  nos  oprime. Mas o perfume que exalam no modo de  encarar  a  vida  ocupa tudo. Dá vontade de ingerir essa pílula. Já os pessimistas, muito atarracados à realidade  impedem o  vôo. Sua âncora jogada no chão da vida incomoda e prende. Os dois perfis estão soltos por aí. Fatos da vida, podem influir, por vezes, em alguma alternância desse  estado. Ser um ou outro, porém, é  dom,  talento  inato.  Que cada chapéu ache  então a sua cabeça e uns e outros  deixem  sua  contribuição  para  uma  vida melhor,  porque  ela,  como  já  se  disse,  é  a  soma  errada  das  verdades.

Antônio Laért
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui