JORNAL MILENIO VIP

Histórias de Magé

A imprensa em Magé

O texto a seguir foi extraído (com redação alterada para a grafia atual) do primeiro jornal a circular em nossa cidade, o Correio de Magé, que teve a sua primeira edição publicada em 01 de janeiro de 1903. 

Era forasteira.
O progresso há muito acenava-lhe risonho, convidando-a a assentar sua tenda no nosso meio, porém zombando ela passava.
De longínquas paragens, das celebradas margens do Reno, onde ao melancólico clarão da lua dançam as pálidas willis deixando os louros cabelos flutuar ao vento, da terra do inolvidável Goethe onde, como disse alguém, perto de um ninho de cegonha sonha meditando um poeta, veio esse invento admirável, idealizado pelo gênio fecundo do imortal Guttemberg. 
A imprensa alastrou-se de progrediu, por onde a civilização passava ouvia-se o gemer do prelo; no papel ainda molhado pela recente impressão lia-se o assassinato frio e covardemente perpetrado, repercutia o grito dos oprimidos bradando por justiça, o soluçar da pobreza envergonhada estendendo a mão aos caridosos, via-se o artigo editorial, num rasgo potente e sublime de dignidade, defendendo os interesses do povo sacrificado pela prepotência dos governos menos sérios.
Tudo isso era dado a outros lugares que não Magé, foi preciso levantar-se o vulto pequenino na forma mas grande na ideia, fértil na imaginação e portentoso no seu entusiasmo, para que este município fosse dotado com esse melhoramento filho do progresso. Esse vulto que acabamos de assinalar é o de Fructuoso Leite que hoje, embora arredado da liça do jornalismo, junto com Eduardo Portella devem orgulhar-se de ver a obra de ambos, depois de ingentes esforços e heroica luta, entrar no 6º ano de existência coroada pelos louros colhidos na defesa dos interesses do povo. A Fritz Kroeber, que sucedeu ao primeiro na direção deste jornal, cabe também parte desses louros. A todos rendemos por este os preitos da mais justa homenagem pelo empreendimento e consecução da ideia que fez nascer o “Correio de Magé”.

Suruí, 1 - 1 – 1909

A. Ribeiro