JORNAL MILENIO VIP

Notícias

Palestrante Dr. Orlando Feitoza

Publicado na edição 123 de Julho de 2012

TÓPICOS

"A população de Magé em julho de 2011, fez a escolha de um prefeito, dentro de um pleito eleitoral conturbado e atípico e demonstrou e expôs pro Estado do RJ o que a população de Magé foi capaz de fazer."

"A população compareceu maciçamente as urnas, (...) e isso foi uma resposta pra todas as pessoas que não acreditavam que a população de Magé, fosse possível de ter a sua manifestação de vontade íntegra, livre de qualquer tipo de coação, qualquer tipo de ameaça. E isso eu acredito que tenha acontecido, como aconteceu, porque a justiça eleitoral se fez presente, deu apoio e, nós fomos incansáveis."

"Agora se aproxima um pleito que a gente tem que tomar um cuidado, pode parecer que está tudo tranquilo, pode parecer que está tudo na sua maior normalidade, mais agora a nossa escolha não vai ser de um ano e meio, nossa escolha será de quatro anos. Então agora vocês vão ter que escolher para os próximos quatro anos a pessoa que vai administrar a municipalidade, que vai administrar os bens públicos municipais."

"É muito triste a gente ouvir pessoas falando que o Brasil era melhor quando não tinha democracia, ou ouvir- 'democracia serve pra quê, pra bagunça?'
Negativo, a democracia serve como um mecânismo de controle político que nós cidadãos temos que entender. 
A democracia nunca vai ser perfeita e isso em lugar nenhum do mundo a gente vai ter uma democracia perfeita. 
Então nós cidadãos e eu enquanto funcionário da Justiça Eleitoral, temos o dever de lutar contra qualquer tipo de ameaça a essa democracia."

"Nós conseguimos realizar uma eleição e duas horas depois saber quem foi o candidato eleito, e eu posso garantir pra vocês, que aquele nome que vocês depositam na urna eletrônica, é o nome que é lido! O sistema do TRE, não tem possibilidade de fraude, nesse sentido. Eu não acreditava, mais ano passado, eu fui a pessoa responsável pela apuração dos votos, então eu posso garantir pra vocês, foi a vontade que foi depositada na urna mesmo , foi a vontade que foi lida. Não tem a possibilidade de como o pessoal fala,  de ter 'marmelada', não tem não."

"Então se o sistema eleitoral funciona perfeitamente, se na justiça eleitoral a gente trabalha no possível e no impossível,porque o Brasil teve uma nota 5 em democratização no país, se eles conseguem colocar uma urna eletrônica no Amazonas, atravessando  o Rio Amazonas e, ter uma Urna eletrônica na fronteira com a Colombia em plena Floresta Amazônica onde o indio vota?. 
E eu pergunto porque que o Brasil teve a nota 5?. Aí  fui procurar os indicadores que levavam essa pesquisa, e o indicador indicou a  nota baixissima, a falta de cidadania e consciencia popular-  aí  fui fazer uma reflexão em relaçao a mim  mesmo. Fui procurar os candidatos em quem eu votei e, sabe o que eu percebi, eu não li o programa eleitoral, eu não sei quantas foram  as iniciativas das leis que eles propuseram, eu não me interessei em procurar qualquer tipo de aprovação de contas no site do tribunal de contas,  não fiz nada disso. Daí,  pude perceber que realmente, nós estamos em uma democracia muito imperfeita, infelizmente."

"Não é falta de politização é a nossa forma como que nós fazemos politica, nós temos essa tradição infelizmente lusitana, de que as coisas são como tem que ser, de que as coisas são no beija mão, de que a gente tem que dar um jeito de satisfazer os nossos, a gente tem que entender, que o público é público!
O" público não é meu, nem dos meus amigos, nem dos meus parentes, nem de ninguem, o  público é de todos."

É bom  estar aqui e conversar  com  todos, pedindo  para que Magé  tente de novo dar uma  resposta, dizer  alguma coisa pro país  ou pro Rio de Janeiro.Não vamos nem pensar, em sermos  formiguinhas, formiguinhas leva um pedacinho  a cada dia  e a  gente primeiro tem que mostrar proRio de Janeiro que a gente sabe onde está colocando o nosso nariz, onde que a gente está colocando o nosso pé, o nosso voto ."