JORNAL MILENIO VIP

Notícias

Moradores de Magé, RJ, sofrem há meses com falta dagua

Moradores de alguns bairros de Magé, na Baixada Fluminense, sofrem há alguns meses com a falta d’água. Os canos da rede de água da rua estão secos, mas as contas da Cedae continuam chegando. A água que abastece os moradores do bairro Roncador vem do Rio de Janeiro e, segundo a Cedae, o problema no município é causado pela falta de chuvas fortes nos últimos meses, conforme mostrou o RJTV.

“A gente coloca a bomba lá dentro do rio, faz a instalação elétrica e puxa para jogar na caixa. Tudo é com essa água: roupa, louça, limpeza da casa”, afirmou a moradora Selma.

De acordo com a população, que tem gasto muito dinheiro com carro pipa e galão de água, o problema de falta d’água é antigo e recorrente. Áreas nobres e o Centro do município também são afetados. Quem pode, abre um poço artesiano. O problema é que com a bomba d’água funcionando sem parar, a conta de luz aumenta.

Algumas pessoas precisam fazer sacrifícios para ter um pouco de água limpa. O morador Carlos dos Santos pedala 10 quilômetros para pegar água em um poço na casa de amigos. “Tem vezes que eu vou lá e não tem água, tá seco para todo mundo, pois não choveu. A gente vai para casa triste e sem água”, afirmou Carlos.

A coleta de lixo é outro problema da região. “Há mais de um mês que não passa (coleta de lixo). Aí, quem não tem consciência da limpeza, joga tudo ali no rio”, criticou uma moradora.

A Cedae informou que está investindo R$ 50 milhões num sistema de captação e tratamento de água e que em menos de um ano os moradores devem sentir melhoras no abastecimento. Sobre a reclamação da coleta de lixo, a prefeitura informou que o recolhimento do lixo está sendo feito as segundas, quartas e sextas.