JORNAL MILENIO VIP

Notícias

Magé: Esporte Clube Pau Grande homenageia Garrincha em seu aniversário

Se estivesse vivo, Manoel Francisco dos Santos, o eterno Garrincha, estaria completando 79 anos dia 18 de outubro. E para homenagear o ‘gênio das pernas tortas’, o Esporte Clube Pau Grande (ECPG), que revelou o talento do jogador, realizou uma festa bem ao estilo do craque: amigos reunidos, samba e futebol, neste sábado (20) na sede do clube, em Pau Grande.

A comemoração já é tradicional no berço de Garrincha, segundo Edson José de Barros, presidente do ECPG. “Todo ano a gente faz essa festa tanto na data que ele nasceu quando no dia em que ele nos deixou”, conta. Ainda de acordo com Barros, apesar da certidão de nascimento de Garrincha constar 28 de outubro, na verdade, o nascimento teria ocorrido no dia 18, quando o clube celebra a data.

Em campo, a festa ficou por conta do Trem da Alegria, time fundado por Garrincha e contou outros craques que conviveram com jogador durante o período que ele defendia o time da Estrela Solitária, como Afonso Celso Garcia dos Reis, o Afonsinho, e Nei Conceição. “O Trem da Alegria surgiu no período de resistência [ao regime de governo da época] e quando surgiu também o Clube do Samba, bloco de carnaval de João Nogueira, que resolvemos criar um grupo para manter a união dos amigos e fazer o nosso melhor: jogar futebol, levado alegria para as pessoas”, relatou Afonsinho.

Diversas fotos de Mané Garrincha em momentos em sua carreira, também trouxeram à lembrança de Afonsinho, fatos que marcaram a convivência com o ilustre mageense. “O Garrincha era uma pessoa muito sensível, eu o conheci quando eu estava no Juniores do Botafogo. Uma vez, no carnaval, eu estava no Bloco da Chuva quando uma pessoa chegou e me reconheceu. Me supreendi. Logo depois ele contou que Garrincha falou muito bem de mim. Puxa isso foi uma alegria muito grande, ele era o ídolo da nossa geração”, relembrou saudoso, comemorando a primeira vez que o Trem da Alegria participa das comemorações do aniversário de Mané Garrincha.

Ídolo de Magé

Além de marcar gerações, o paugrandense deixou um legado importante para a história do futebol. Colecionou títulos, representados pelas taças, as camisas dos times que defendeu no Brasil e no exterior, fotografias das jogadas e lances que encantavam o público nos estádios, esse material está reunido num espaço especial no Esporte Clube Pau Grande, time que revelou o craque das pernas tortas, no Memorial Garrincha.

“O Garrincha é um ídolo maior, jogava mais até que o Pelé”, segundo o vice prefeito de Magé, Claudio Rodrigues. “Com esses eventos de grande porte na área do esporte que serão realizados no Brasil, é o momento da cidade mostrar o carinho pelo seu filho ilustre”, complementou.