JORNAL MILENIO VIP

Notícias

Eu e o Botafogo

Publicado na edição 131 de Junho de 2013

1- Aproveito este espaço, gentilmente cedido pela minha amiga Rosinha, para, primeiramente enaltecer a brilhante conquista pelo BOTAFOGO da Taça de Campeão de Futebol do Rio de Janeiro, no ano de 2013 e, depois mostrar a quem interessar, as circunstâncias que me levaram, por acaso, a defender o GLORIOSO em 03campeonatos cariocas (1954, 1955 e 1956).

2- Tenho o entendimento de que "as coisas acontecem porque acontecem; mas determinadas coisas não acontecem por acaso" e influenciam no futuro de nossas vidas.

3-
Por acaso, fui parar em General Severiano, local do Estádio do Botafogo Futebol e Regatas, interrompendo meu projeto de ser arquiteto, lá permanecendo por 03 anos, como futebolista profissional. Minha ida, em março de 1954 aconteceu depois de ter sido bicampeão pelo Mageense Futebol Clube (1952 e 1953) e titular da Seleção Mageense que disputou, nesses anos, o Campeonato Estadual de Seleções Municipais, porque o Diretor de Futebol do Clube enviou um cartão, autorizando-me ter um mês de testes de experiência, morando nas dependências do clube.

4-
Era o início da escolha do plantel para o campeonato, que começaria em junho daquele ano. Depois desse período, todos fomos dispensados até saber quem seria aproveitado no futuro. 

5-
O técnico à época era o Gentil Cardoso, aquele das máximas "quem desloca recebe", "quem pediu tem preferência" e "a bola tem que rolar porque bola no alto não tem dono" e o Paulo Amaral era o preparador físico (foi aliás, campeão do mundo de 1958 com a seleção que tinha como base jogadores do Santos e Botafogo). 

6- Aconteceu que, fui surpreendido duas semanas depois da dispensa, com a inclusão de meu nome no rol dos jogadores que iriam participar de uma excursão ao Espírito Santo, cujo técnico era o Paulo Amaral.

7-
Na estreia o time foi derrotado pela Seleção de Cachoeiro de Itapemirim e, por acaso nesse jogo, quem atuava em minha posição (médio volante), o Geraldo Bulau, contundiu-se e retornara, sendo Eu o escalado em seu lugar para o segundo jogo, na cidade de Castelo para a inauguração do seu estádio. Entrei; o time ganhou de 7 x 1; e não perdeu mais; e voltei como titular da posição.

8- Por acaso, o time Titular estava excursionando na Colômbia e, por isso, alguns jogadores do time que voltou vitorioso do Espírito Santo, mesclado com outros reservas (Geninho, Vinícius, Floriano, Tomé e Wilson Moreira) representou o Botafogo no Torneio Início que antecedia o Campeonato Carioca, com a presença de todas as equipes. Foi minha estreia, num Maracanã lotado, e que nos sagramos vice-campeões, perdendo apenas para o Flamengo, na final, já de noite, por 1 x 0, gol marcado pelo já famoso centroavante Evaristo Macedo.  

9-
Em 1954 o time TITULAR não esteve bem. Fez uma campanha medíocre, razão pelo qual o técnico ZEZÉ MOREIRA, em 1955 foi contratado logo depois de ter sido campeão pelo Fluminense com o seu contestado sistema de marcação por zona. Devido à minha ótima condição física aos 20 anos, motivado e bem tecnicamente, não tive dificuldade de adaptação ao novo sistema. Era cansativo porque as funções do médio volante eram as de marcar, apoiar e dar cobertura ao lateral e ponta direita que recuava, obrigando a equipe adversária a jogar pelos flancos.

10- Foi o meu melhor ano, pois fomos vice-campeões perdendo para o Flamengo por 1 x 0, gol marcado pelo ponta direita Paulinho, componente do futuro ataque tricampeão formado por Moacir, Henrique, Dida e Babá. Apesar de me destacar não tive oportunidade de jogar como titular por conta de que não eram permitidas substituições em jogos oficiais. Os reservas sempre faziam a preliminar dos jogos principais.

11- Em 1957, com a saída do GENINHO que substituíra o ZEZÉ MOREIRA, assumiu JOÃO SALDANHA como treinador com a filosofia de mesclar o elenco com jogadores promovidos dos Juvenis (até 18 anos), pois não havia ainda a categoria de Juniores (com limite de idade até 21 anos), outros titulares e novas contratações. Sua estratégia deu certo porque foi campeão derrotando o Fluminense numa final histórica em pleno Maracanã. Deixei então de fazer parte do elenco, ficando sem jogar por 01 ano, para reverter à categoria de AMADOR. Mais é outra história!...

12-
Enquanto estive no Botafogo tive o privilégio de conviver com importantes figuras do futebol: NILTON SANTOS, DIDI, GARRINCHA, DANILO ALVIN, BAUER, QUARENTINHA, TOMÉ, GENINHO, FLORIANO, ARIOSTO, PAMPOLINE, NEIVALDO, WILSON MOREIRA E OUTROS.

SAUDAÇÕES ALVINEGRAS.

Fotos