JORNAL MILENIO VIP

Notícias

Entrevista com Angela Lomeu

Publicado na edição 132 de Julho/Agosto de 2013

Posso em primeiro lugar defini-la como amiga fiel, companheira dos amigos , alegre , feliz , ama o que faz , adora promover  festas que compartilha com  amigos e funcionários da rede onde atua.Há 12 anos distante, deixou saudades. De volta, a convite do Prefeito Nestor Vidal , Angela Lomeu vai cuidar novamente da Educação no município.Parabéns professores pela nova conquista.

Funcionária pública desde 1972, aposentada em 2007 com 35 anos de efetivo trabalho na área da Educação. No decorrer desse tempo, desempenhou todas as funções inerentes à Educação: professora da rede municipal, diretora de escola municipal, diretora de escola estadual, coordenadora da Fundação Educar, tutora do Projeto Baixada, premiado como o melhor projeto de alfabetização do mundo pela UNESCO, professora do Curso de Formação de Professores, lecionando Didática e Estágio Supervisionado de 1º e 2º graus. Foi  Diretora da Divisão de Jovens e Adultos da Prefeitura de Duque de Caxias, Diretora do Departamento Geral de Educação, Subsecretária de Administração e Gestão de Pessoal, Subsecretária Executiva de Educação, todos no município de Duque de Caxias, e Secretária de Educação de Magé de 2000 a 2004. A partir de 2005, prestou assessoria à diversos município como Macaé e Paraíba do Sul, na construção de seus Planos Municipais de Educação.

É  uma profissional profundamente comprometida com a causa da Educação, pois acredita que somente através desse poderoso instrumento podemos sonhar com a existência de um mundo melhor.


1– Como você definiria a nova secretaria de Educação, Prof.ªAngelaLomeu? Conte-nos um pouco da sua trajetória até aqui.
Rosinha, sou servidora pública a 40 anos e já vivi no campo da educação muitas experiências a frente de diversos cargos.Fui Coordenadora do Projeto Baixada, premiado pela UNESCO como o melhor projeto de alfabetização do mundo, Diretora do Departamento Geral de Educação, Subsecretária de Gestão Pessoal, Subsecretária Executiva de Educação e prestei, de 2005 a 2009, assessoria a vários municípios na construção de seus Planos Municipais de Educação. De 2000 a 2004 estive à frente da pasta da Educação em Magé e esses foram, com certeza, os melhores anos profissionais da minha vida, pois, junto com os professores, pudemos construir uma história de respeito e dignidade. Saímos do zero e conseguimos até mesmo a construção do Plano de Cargo e Salário do Magistério. Hoje, retorno a Magé, para, junto a cada professor, servidor, diretor, pais de alunos, realizar nesse município um grande trabalho, onde nossas crianças sejam os atores principais. Temos certeza de que o compromisso do Prefeito Nestor Vidal com a Educação estabelecerá um padrão de dignidade para que ela seja destaque no cenário do Estado.

2– Há aproximadamente 12 anos atrás você esteve a frente desta secretaria. Nesta ocasião o seu trabalho e de sua equipe foi destaque. Como deixou a educação naquela época e o que encontrou agora?
Veja bem, o cenário em 2000 era desolador, os salários variavam conforme a proximidade que o servidor tinha do chefe, ou seja, quanto mais amigo maior o valor da gratificação. Isso gerava um desequilíbrio na folha de pagamento que acarretava grandes injustiças para com os profissionais de Educação. Conseguimos padronizar o valor da gratificação do FUNDEB para R$ 400,00, que permanece até hoje. Fizemos o Plano de Cargos e Salários e enquadramos todos os profissionais em suas respectivas categorias, conforme o tempo de serviço e a habilitação. Criamos o PAC – Programa de Alimentação Continuada, que oferecia às crianças atividades lúdicas aos sábados e aos seus pais, oficinas para geração de emprego e renda, instalamos a SMEC num prédio digno com salas bem equipadas, totalmente conectada e informatizada e hoje encontrei uma Educação triste, mal localizada e sem o tratamento amoroso e cuidadoso que ela merece. Imagino que os que me antecederam enfrentaram muitas dificuldades pois não é fácil remontar uma estrutura com abrangência que atinge a 97 escolas. O Plano de Cargo e Salários nunca mais foi atualizado, alias, sequer foi implantado e ele deveria ter sido adequado a atual legislação até o mês de dezembro de 2010. O prédio onde está situado a SMEC é triste e sem as condições mínimas necessárias como telefonia e internet para atendimento das necessidades da rede, masem uma semana providenciamos a sua pintura para que o povo identifique este prédio como público, local onde deverá ter as necessidades referentes a educação de seus filhos atendidas.Isso também valoriza a prática dos profissionais de Educação.

3– Neste ano de 2012 o município voltou a trabalhar com a promoção automática nos anos iniciais. Você considera a rede preparada para esta mudança repentina uma vez que essa pratica tem sido desconsiderada em outros sistemas?
É muito bom que seu jornal, Rosinha, assim como outros veículos de comunicação de Magé possam estar informando a população que o tema “promoção automática” não existe na rede municipal de ensino. É preciso desmistificar essa falácia...o que há, no projeto da SMEC, é instituição do Ciclo de Alfabetização, garantia ampliada do dever de alfabetizar as crianças de Magé. Não há aprovação automática, porque pelas faltas a criança poderá ficar retida naquele ano de alfabetização e, ao final dos três anos, ele sofrerá uma avaliação para verificar se ele pode ingressar na série seguinte ou se permanecerá na série em que está.A rede municipal vem se preparando para essa nova perspectiva, através de um programa de formação continuada que contempla a leitura e a oralidade como peças fundamentais no processo de desenvolvimento da aprendizagem. Não haverá promoção para série posterior sem que o aluno apresente as condições especificas para tal.

4– Como tem sido implementados os programas do governo federal na rede Municipal de Ensino, em especial o PNAIC – Programa nacional de Alfabetização na Idade Certa?
Magé foi contemplada com vários programas. Podemos citar o Programa Dinheiro Direto na Escola – PDDE, o Escola Aberta, o Mais Escola, o PNAIC – Programa Nacional de Alfabetização na Idade Certa, o Aluno Atleta e entre outros. Além deles estaremos retornando o Programa do Tênis, que em 2004 foi implantado com a presença do grande tenista Carlos Alberto Kyrmaire que atendia a mais de 100 alunos, que possuíam suas próprias raquetes de tênis. Havia também o Programa de basquete que teve Oscar no seu lançamento e o do Volei, que teve Bernard como padrinho. Esperamos com a regularidadejurídica/financeira do Executivo junto ao Governo Federal que está sendo promovida pelo Prefeito Nestor Vidal, através da sua Secretaria de Planejamento possibilite a chegada de muito outros recursos e Programas que serão bem vindos por todos nós.

5– Eu tenho constatado situações de violência e agressividade entre alunos, com os professores e ate mesmo com o patrimônio da escola. Existe alguma proposta de trabalho e parceria com outra secretarias municipais tendo em vista essa realidade?
A Secretaria está fazendo um trabalho criterioso para identificar a possibilidade de, nessas escolas onde a violência e a agressividade é maior entre os alunos.Iniciar um programa de conscientização através de filmes, vídeos e palestras com os pais, destacando o papel fundamental da atenção dos pais, em casa aos seus filhos. Entendo que a educação de toda criança é tarefa compartilhada , não sendo somente uma função da escola.

6 – os profissionais da educação têm reivindicado melhorias salariais e valorização do magistério. O que você tem a nos dizer sobre essa questão?
O Prefeito Nestor Vidal, nos nossos encontros, disse do seu desejo de ver a Educação de Magé dar um grande salto qualitativo. Apontei nessa ocasião aquele que é o principal desejo do professor de Magé: RESPEITO AO SEU DIREITO ENQUANTO PROFISSIONAL. Isso passa pela reanálise do Plano de Cargos e Salários, que irá garantir os direitos assegurados em Lei. Além disso, a definição de uma data específica para o reajuste do Magistério no mês em que o professor é festejado, poderá recuperar um pouco as perdas que ele teve de 2004 a 2010. A Manutenção dos prédios escolares, material didático, enfim, uma estrutura de trabalho que dê ao professor incentivos a sua prática pedagógica são itens que também contam como valorização desse profissional. O que nós queremos é que o professor de Magé perceba a sua importância enquanto possibilitador de novas caminhadas para as crianças desse município. É preciso que, na sua prática diária, ele consiga enxergar além da curva, onde nenhum olhar ainda pousou e onde ele poderá antever, com certeza, um futuro melhor para cada criança desse município. Conforme o grande sábio chinês Kwantzu colocou: “Se planejarmos para um ano devemos plantar cereais. Se planejarmos para décadas devemos plantar árvores mas, se planejarmos por toda a vida, devemos educar o homem.” Essa é nossa meta!