JORNAL MILENIO VIP

Notícias

Parceria da Prefeitura e Correios

Publicado na edição 132 de Julho/Agosto de 2013

Aprovada pela Câmara Municipal de Magé em 09 de abril deste ano, e homologada na sede nacional da ECT - Empresa de Correios e Telégrafos, em Brasília, a Lei 2158/2012 – Lei do Abairramento - estabelece as bases para definir e delimitar os 107 bairros dos seis distritos do município. O projeto já foi concretizado em parceria com os profissionais dos Correios e entrará em vigor a partir de 01 de setembro próximo.

Nesta entrevista, Leroy Albrile, Gerente de operações dos Correios/Magé e Sergio Oliveira, Técnico responsável pela codificação postal no Estado Rio de Janeiro, esclarecem a importância do projeto para o futuro de Magé.

O que é abairramento?
É o levantamento e identificação de cada bairro, dos seus limites e dois seus logradouros (ruas, praças, etc.) A lei de abairramento na verdade é feita pelo município, muita coisa foi modificada, mas a responsabilidade é toda do município. 

E por que teve que fazer isso? Porque que foi necessário?
Porque o município não tinha nada, o município não tinha um mapa, não tinha uma Lei de Abairramento, não tinha a delimitação dos bairros, não havia ruas oficiais, na verdade a cidade não existia, no que diz respeito à busca pelo CEP. O limite da cidade existia virtualmente, os bairros não eram delimitados.

Mas eu acho isso tão importante, informar pra população. Por exemplo, eu moro na Lagoa, não existe o meu bairro; eu moro na Barbuda, não existe. Não é importante a comunidade tomar conhecimento disso?
A prefeitura tem que ter uma divulgação de massa, porque vai mudar muita coisa, a Lagoa não vai ser mais Lagoa, Vai ser Parque Imperador. Imagine dia 01 de setembro uma pessoa que mora na Lagoa vai dar entrada na aposentadoria, aí chega lá no INSS, e perguntam, a senhora mora onde? Ah, moro na Rua Conde de Irajá. Qual o seu CEP? 25900-000. Esse CEP não existe, esse CEP vai ser excluído. Olha o tamanho da coisa, eu gostaria que as pessoas começassem a entender. Um exemplo: eu sou empresário na cidade, sou dono de um empreendimento. Vou até a Receita Federal agora e vou trazer minha empresa para a Avenida Simão da Motta. Qual o CEP de lá? 25900-000. Não existe. Nós vamos codificar uma cidade com mais ou menos 3.000 ruas, vai ser tudo por rua. Então a cidade tem que se preparar, a gente está se adiantando agora e não é só isso, o mercado eletrônico em Magé é muito forte, você vê o consumo, a sociedade de Magé consome muito pela internet e quem faz a entrega, principalmente os Correios, precisa da informação correta, formalizada através dos CEP – os códigos de endereçamento postal.

Então quer dizer que o consumo de Magé e mais virtual do que físico?
Pra você ver. Em Magé, por dia, só os Correios - sem falar de outras transportadoras -entregam 1.500 objetos de consumo. Então automaticamente, eu compro hoje e amanhã eu tenho o produto na minha porta. O mercado da internet é um mercado aquecido e olha que tem dificuldades. Tem site que tem dificuldade de entregar, por causa do CEP.  Se o prefeito souber explorar essa ferramenta, ele vai poder explorar isso, a prefeitura passa informação para o Google, para outros órgãos e cria uma cidade virtual, online, turisticamente online, organizacionalmente online, a pessoa vai saber onde se encontram os órgãos. A partir do abairramento agora ele pode fazer isso tudo.

Então o grande BUM do abairramento seria a criação do CEP?
A criação dos CEP, regularização e delimitação dos bairros. Com isso facilita toda a cidade, os projetos, gera desenvolvimento, pode criar área de desenvolvimento industrial, empresarial, pode regulamentar projetos com mais facilidade dentro de área, pode ser implantado mais posto de saúde da família que é por número de bairro, tudo pode acontecer.

Quem levou essa proposta para o prefeito foram vocês?
Foi o Correio que teve a iniciativa. Mas na verdade o que precisamos pra fazer a codificação postal? Precisamos de um mapa com todos os logradouros ali, já delimitados por bairros. Para a Lei de Abairramento, precisamos de toda essa documentação e há dois anos atrás não existia nada. Hoje a cidade tem mapa. A Lei já foi aprovada na Câmara, foi modificada por nós e foi aprovada novamente. Foi aprovada ano passado, eu modifiquei o limite de alguns bairros e foi aprovada esse ano.

Então isso significa que Magé já tem um desenvolvimento que exige isso e aí seria uma iniciativa do Correio porque Magé está pedindo isso, ou isso foi uma iniciativa do governo para atrair o desenvolvimento?
Foi uma necessidade dos Correios. Magé é a única cidade da região metropolitana que não tínhamos conseguido codificar. A cidade era um papel em branco, nós chegamos e falamos assim: Prefeito, nós vamos fazer tudo, a cidade não existe, quando davam um mapa pra gente só tinha a Simão da Motta, a Santos Dumont, que são as principais. E  essa rodovia, nem ela estava dentro do limite da cidade. Ainda assim Magé é a única cidade que não fica fora de perímetro urbano a gente tem 100% de entrega na cidade, não tem uma localidade de Magé que o Correio não atenda. O Correio entrega em todas as ruas, todos os bairros. Em Guapimirim ainda estamos desenvolvendo pra realizar também esse trabalho. Dos 92 municípios do Estado, Magé é um dos poucos que tem este serviço, até na área agrícola é feito um atendimento, até a Serra Velha. 

Inclusive, para qualquer pessoa entrar com um processo judicial precisa obrigatoriamente fornecer o CEP.
Imagina o que a Justiça passa para notificar uma pessoa, com cinco ruas Waldemar Lima Teixeira?  Imagine a luta que é pra um Oficial de Justiça! Fora as ruas A, B, C, D que têm que ser regularizadas. Quem sofre é a sociedade, não é o prefeito. Um idoso, tem que fazer uma perícia, o INSS não localiza rua A. Outro exemplo: os jovens que fizeram o ENEM, eles sofrem pra fazer prova do ENEM em Magé. Concurso público é um sofrimento para quem faz inscrição, por causa do CEP. Aposentar é uma dificuldade. Os órgãos públicos viviam num quebra galho porque faltava delimitação, faltava regulamentação. Agora não, acabou. Agora eu realmente moro numa rua que existe no mapa, no Google, em tudo. Coisa que há 448 anos não existia. Fizemos o geoprocessamento da cidade, junto com a prefeitura. É um trabalho que já vem sendo realizado há dois anos pelos Correios, em parceria com a Prefeitura, com todo cuidado pra não deixar ninguém à margem.

E como que vou obter essa divulgação de CEP? 
Só não foi divulgado no site ainda, porque estamos esperando pra divulgar junto com Guapimirim, os dois projetos estão sendo feitos ao mesmo tempo e serão entregues no dia 01 de setembro no site dos Correios www.correios.com.br. E também vamos divulgar imprimindo formulários e o carteiro vai entregar de porta em porta, informando que o seu CEP, a partir de hoje, é tal. 

Para finalizar, gostaria de ressaltar que está na hora de entender que Magé era desconhecido, nós temos a primeira ferrovia, o transporte de transbordo do Brasil, foi Magé, D. Pedro chegava de barco, pegava o trem e quando chegava lá em cima pegava a cremalheira. Sente, o primeiro transporte de transbordo passou por Magé e ninguém fala sobre isso.