JORNAL MILENIO VIP

Notícias

Milenio Vip sugere para as festas de fim de ano

Publicado na edição 136 de Dezembro de 2013

Foi o chef “patropi” mais festejado do momento, o paulista Alex Atala, que, em recente entrevisa à revista “Ela Luxo”, levantou a bola: por que o brasileiro, em restaurantes estrelados, não pede carne de músculo mas come com avidez o ossobuco, que nada mais é do que a mesma carne com osso? Boa cutucada, chef. A carne pode não ter muito ibope com o público, mas, em compensação, está cheia de cartaz com os chefs da cidade.  Confira o roteiro elaborado pela crítica de gastronomia do GLOBO, Luciana Fróes (matéria publicada na edição impressa de 06.12.2013):

Prima Bruschetteria - Todo ragu preparado pelos chefs Erik Nako e Cristiano Lanna, seu sócio, leva músculo bovino. Isso vale tanto para as bruschettas quanto para as massas do cardápio, como o tagliatelli artesanal à bolonhesa (R$ 35), em que o músculo é cozido por quatro horas com cubinhos de linguiça.

Zazá Bistrô - Nos almoços de domingo, o chef Pablo Vidal cozinha músculo na cerveja preta e o serve com batata-doce, batata-baroa, banana-da-terra e, para arremater, uma canjiquinha de quiabo sauté.

Mira! - A chef Roberta Ciasca reproduz o clássico prato francês boeuf bourguignon usando cubos de músculos, que resistem ao longo cozimento sem ressecar.

Málaga - Em outra tradicional receita, desta vez húngara, o uso do músculo é fundamental: no goulash, em que os pedaços de músculos são cozidos com páprica picante. No veterano Málaga, restaurante do Centro, o prato é servido com batatas coradas, pepino doce e uma pasta de pimenta interessantíssima, feita pelo restaurateur Augusto Vieira. Delicioso.

Gabbiano Al Mare - Brasileiro filho de italianos, Romano Fontanive serve entre as sugestões do dia um brasato al barolo com purê de batatas, uma receita de músculo originalíssima do Norte da Itália. Ele deixa a carne marinando no vinho tinto com ervas. Depois a cozinho por horas e coloco um pouco de cacau amargo.

Academia da Cachaça - Por lá, a pedida são os goles fumegantes. Entre os muitos caldinhos em cartaz na casa, lá está o feito com carne de músculo, que, depois de uma temporada ausente, voltou recentemente ao cardápio.