JORNAL MILÊNIO VIP - Lançamento do livro “Memórias da Moscouzinho”, de Felipe Ribeiro

Notícias

Lançamento do livro “Memórias da Moscouzinho”, de Felipe Ribeiro

Publicado na edição 157 de Fevereiro de 2016

No dia 11 de março, o historiador Felipe Ribeiro fará o lançamento do seu primeiro livro: “Memórias da Moscouzinho: os tecelões de Santo Aleixo e a liderança de Astério dos Santos”.

Publicado recentemente pela Paco Editorial, a obra analisa a trajetória de um grupo de trabalhadores têxteis do município de Magé/RJ que se notabilizou por sua mobilização em torno de questões centrais da política brasileira, particularmente no contexto que antecede ao golpe de 1964. 


Das memórias desta época – considerada áurea pelos trabalhadores – foi consolidada a imagem de que este lugar era uma “pequena Moscou”, marcada por uma forte militância comunista e um movimento operário bastante aguerrido, em que se destacava a figura do líder sindical Astério dos Santos, que foi cassado e preso após um movimento civil-militar destituir o presidente João Goulart.


Felipe Ribeiro fará o lançamento às 18h na Livraria da FGV (Praia de Botafogo nº 190 – Botafogo/RJ). 

Antes, às 16h, também na Fundação Getúlio Vargas, o autor participará de um debate sobre o livro, com comentários da professora Juçara Mello, da PUC-Rio. O evento será promovido pelo Laboratório de Estudos dos Mundos do Trabalho e Movimentos Sociais (LEMT), com entrada gratuita. 

Exemplares já estão disponíveis nas livrarias ou no próprio site da editora: http://editorialpaco.com.br/livro/memorias-da-moscouzinho/

Dados sobre o autor: Felipe Ribeiro é historiador e este é o seu primeiro livro. 

Doutor em História, Política e Bens Culturais pela Escola de Ciências Sociais da Fundação Getúlio Vargas (CPDOC/FGV) e mestre em História Social pela Faculdade de Formação de Professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (FFP/UERJ), o autor é membro do Laboratório de Estudos dos Mundos do Trabalho e Movimentos Sociais (LEMT) e realiza estágio de pós-doutorado pelo Instituto Multidisciplinar da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (IM/UFRRJ), com financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ). 


E-mail: felipe_ffp@yahoo.com.br

Telefone: (21) 98533-8541

Pareceres sobre o livro:

Memórias da Moscouzinho é dedicado a Astério dos Santos, tecelão, líder sindical, vereador e comunista. Com uma narrativa atraente, o autor resgata trajetórias do movimento operário têxtil em Santo Aleixo, município de Magé/RJ, apresentando um olhar sensível para a ação e a memória de instigantes personagens. Sua pesquisa articula história política e social, demonstrando a força desses operários na luta sindical fluminense e na Câmara de Vereadores.

Marcelo Magalhães

Professor da UNIRIO


No contexto de eventos históricos, de “marcações”, que foram imprimindo no “imaginário dos operários têxteis de Santo Aleixo uma noção de cidadania”, a trajetória de Astério dos Santos como político e líder sindical ganhou proeminência simbólica em relação à de outras lideranças operárias locais. Isto, certamente, deve-se a uma combinação complexa de fatores, que Felipe Ribeiro (que também é “dos Santos”) observa nos depoimentos colhidos e analisa cuidadosamente nas páginas deste livro.

Juçara Mello

Professora da PUC-RIO

Felipe Ribeiro faz parte de uma nova e promissora geração de pesquisadores dedicados à história da classe trabalhadora. Ancorado em densa pesquisa, variadas fontes e atento aos debates da história social do trabalho, o autor escreveu um livro raro. A trajetória de Astério dos Santos, líder têxtil, é o ponto de partida (e de chegada) para uma rica análise sobre a industrialização e as lutas sindicais e políticas. O lugar era uma das várias “Moscouzinhas” brasileiras, onde entusiasmados operários lutavam por direitos nos tumultuados anos que antecederam o golpe de 1964. A obra é uma bela demonstração de como um estudo acadêmico pode ser simultaneamente rigoroso, engajado e emocionante.

Paulo Fontes

Professor do CPDOC/FGV

Os ingredientes são, por si só, atraentes. O tempo é o da efervescência do pós Segunda Guerra e as utopias de transformação social. O personagem é um líder operário, dirigente sindical, militante comunista e vereador cassado em 64. O cenário é de uma pequena localidade, próxima à Capital Federal e conhecida, na época, como “Moscouzinho”.  A competente narrativa do autor, entrelaçando, na dosagem devida, o local ao global, dá um sabor especial a essa História.

Luis Reznik

Professor da FFP/UERJ

 


Clique aqui e compre o seu exemplar.