JORNAL MILENIO VIP

Notícias

População de Magé comemora vitória do novo prefeito com gritos de liberdade

 A população de Magé, na Baixada Fluminense, comemorou com gritos de liberdade o resultado da eleição para prefeito no município no fim da tarde do último domingo (31). Com 68, 62% dos votos válidos, Nestor Vidal (PMDB) foi eleito, acabando com mais de 20 anos de hegemonia da família Cozzolino no poder. Ele reconhece os riscos que corre à frente da prefeitura do município, mas disse que não tem medo de represálias. 

- Eu tenho total noção dos riscos que eu corro. Mas a gente tem o apoio da família, da minha esposa. O risco é calculado até por um objetivo quase que de vida, de devolver ao povo megeense, este povo que a gente tanto ama, o direito de ter um futuro. Hoje o povo mageense não tem perspectiva de futuro. 

As denúncias de boca de urna e compra de votos fizeram com que o TRE-RJ (Tribunal Regional Eleitoral) preparasse um forte esquema de segurança. Ao todo, oito equipes da PRF, 40 policiais federais, 120 civis e 530 PMs, inclusive do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais), monitoraram as zonas eleitorais. Os agentes também tiveram o apoio de dois helicópteros da polícia. 

Três pessoas foram presas suspeitas de fazer boca de urna, entre elas, o ex-chefe da Guarda Municipal de Magé, Renato Abreu, conhecido como Renatinho PM. 

O prefeito em exercício, Anderson Cozzolino, irmão da ex-prefeita Núbia Cozzolino, foi convidado a se retirar da escola Jorge Veríssimo, um dos locais de votação, para não ser preso. Ele já tinha votado, mas, segundo fiscais, retornou pelo menos três vezes ao local, e estaria intimidando eleitores. 

Outras duas pessoas foram detidas por estarem panfletando próximo a locais de votação, mas assinaram um termo de compromisso e foram liberadas em seguida. 

A nova eleição foi convocada depois que Núbia Cozzolino e o vice-prefeito Rozan Gomes da Silva (PSL) tiveram os mandatos cassados por abuso de poder político e econômico. Núbia já estava afastada do cargo desde 2009 por suspeita de formação de quadrilha e desvio de dinheiro público.

Assista ao vídeo: